Máquina usa infravermelho para destacar veias e driblar medo de agulha

Máquina usa infravermelho para destacar veias e driblar medo de agulha

Atualizado: Terça-feira, 6 Julho de 2010 as 3:48

A secretária Andréia Prado, de 39 anos, morre de medo de agulhas. O desespero faz com que sejam necessárias várias tentativas para coletar o sangue para o exame, já que, na definição dela, "a veia some". Entretanto, com o VeinViewer - um aparelho que mapeia as veias e facilita a coleta - o medo diminui.

A técnica é utilizada no Hospital Albert Einstein e também em laboratórios como o Fleury Medicina e Saúde. A máquina emite raios infravermelhos que captam a temperatura do corpo e ressaltam as veias que são mais quentes. As informações são transformadas em imagens, projetadas na área a ser perfurada.

Para tranquilizar o paciente é possível combinar técnicas, diz  a enfermeira do Laboratório de Análise Clínica do Einstein, Alice Berteli.

- Quando a pessoa tem muito medo usamos também a pomada anestésica. Só de saber que não vão errar a veia, já diminui a ansiedade.

Máquina emite raios infravermelhos que captam a temperatura do corpo e ressaltam as veias que são mais quentes

Na rede Fleury, o aparelho é associado a técnicas de relaxamento. A gerente de processos de enfermagem da clínica, Renata Lamonica, diz que a ideia é "entender a expectativa do paciente".

- Tem alguns que não querem ver de jeito nenhum, outros que preferem conversar sobre o exame.

Andréia, que já conhece a sua condição, costuma pedir por técnicas usadas em crianças.

- Aprendi a conviver com isso. Me considero uma pessoa equilibrada e não sei explicar o medo. Se a pessoa pica uma vez e não consegue, na segunda eu já desmaio.

veja também