Mau hálito é problema grave cercado de 'verdades e mentiras'

Mau hálito é problema grave cercado de 'verdades e mentiras'

Atualizado: Sexta-feira, 13 Agosto de 2010 as 3:25

Apesar de ser um grave problema de saúde pública que acompanha a humanidade há séculos - há citações sobre ele até mesmo na Bíblia - e de ser um problema mais freqüente do que se imagina (pesquisas recentes mostram que pelo menos 30% da população sofre com o mal e 70% das pessoas acima dos 65 anos), o chamado "mau hálito" ainda é uma questão delicada, polêmica e cercado de desinformação.

"Isso porque o mau hálito pode ter até 60 causas diferentes. Problemas como prisão de ventre, queda na produção de saliva, além de doenças nas gengivas são algumas das causas mais freqüentes. Mas o problema também pode ser causado por doenças mais graves, como a leucemia, diabetes, câncer de estômago e sífilis", esclarece o cirurgião-dentista Arany Tunes, um dos maiores especialistas do Brasil e do mundo em mau hálito, um dos primeiros a se dedicar exclusivamente ao estudo e tratamento do problema.

"É muito importante que as pessoas saibam que o mau hálito não é uma doença. Mau hálito é um importante ‘sinal’ que o nosso organismo emite para alertar que algo está errado. E esse ‘sinal’ deve ser investigado. O objetivo é descobrir a causa do mau hálito, que deve ser tratada, para eliminar assim todo o problema", resume o estudioso, que já tratou mais de 1.000 pacientes com mau hálito, atingindo 99% de sucesso, e que atende diariamente pacientes com mau hálito em clínicas de 8 cidades diferentes do Estado de São Paulo (São Paulo, Campinas, Indaiatuba, Sorocaba, Jundiaí, Piracicaba, Santos e São Bernardo do Campo).

Membro efetivo da Associação Brasileira de Halitose (ABHA) e da International Society for Breath Odor Research (ISBOR), entidades, no Brasil e no exterior, dedicadas a pesquisar exclusivamente o mau hálito, o Doutor Arany Tunes esclarece a seguir algumas "verdades e mentiras" sobre o mau hálito:

Gastrite provoca mau hálito?

Não. Ao contrário do que muitos pensam, dificilmente algum problema estomacal provoca mau hálito. Isso é comprovado cientificamente.

Mau hálito é sinal de má higiene bucal?

Normalmente, não! Aliás, é muito comum haver pessoas com higiene bucal impecável, mas com hálito muito forte por outros motivos.

Regime para emagrecer provoca mau hálito?

Sim. A maioria das dietas pode provocar mau hálito.

Fazer bochechos resolve o problema?

Não. Nenhum anti-séptico bucal existente no mercado elimina o mau hálito. Aliás, a maioria deles somente "esconde" o cheiro nos primeiros minutos. Mas cerca de meia hora depois, o cheiro ruim volta a prevalecer. Além disso, os anti-sépticos bucais contêm álcool, o que piora o hálito ao longo do tempo.

Chupar balas e mastigar chicletes melhora o hálito?

Depende. Chupar balas e mascar chicletes estimula a produção de saliva, o que normalmente melhora o hálito. Porém, dependendo da origem do problema, isso pode ser inútil. Além disso, o alto teor de açúcar desses alimentos pode provocar o surgimento de cáries e excesso de peso. O ideal é descobrir a causa real e fazer o tratamento adequado.

Mau hálito tem cura?

Sim. Mas pela quantidade de causas é preciso passar por avaliação médica, feita por profissional especializado nesse problema.

É verdade que limpar a língua é importante para ter um bom hálito?

Em termos. Claro que a limpeza da língua é um hábito saudável. Porém, serve apenas para controlar o hálito em alguns pacientes. Em outros, não resolve o problema. O ideal é que a limpeza da língua seja desnecessária. Ou seja, que ela fique sempre limpa, sem que tenhamos que limpá-la freqüentemente.

É normal acordar de manhã com cheiro ruim e gosto amargo na boca?

Sim. Isso ocorre pela queda na produção de saliva e pelo longo período sem comer. O mau hálito pela manhã é normal. Mas após a escovação dos dentes e tomar o café da manhã, isso precisa passar. Caso não passe, é necessário tratamento.

É verdade que quem tem mau hálito não sente o cheiro?

Sim. Quem tem mau hálito constante não sente o cheiro que vem da própria boca. Chamamos isso de "fadiga olfatória". É como quando compramos um novo perfume: no início, sentimos bem o cheiro. Após alguns dias, parece que fica mais fraco. Na verdade, é a fadiga olfatória.

veja também