Mau humor ou doença?

Mau humor ou doença?

Atualizado: Terça-feira, 25 Maio de 2010 as 4:25

Pessoas mal humoradas, que não vislumbram um resquício de esperança e reclamam de tudo a sua volta podem achar respaldo para as suas queixas na medicina. O mau humor constante pode ser uma doença chamada distimia, que provoca alterações de humor, infelicidade e reclamações sem motivos aparentes.

Mas qual a razão do mau humor? "Todo o indivíduo sofre oscilações de humor  em alguma circunstância da vida. Mas no caso da distimia o mau humor é constante  e a pessoa está sempre se queixando, reclamando, mesmo sem um motivo. Esse mau humor é desencadeado por uma série de fatores, como por exemplo uma desordem psicológica,  alteração de neurotransmissores como a serotonina, e fortalecido muitas vezes pelo ambiente em que a pessoa vive. Os sintomas são desânimo, irritabilidade, desmotivação, insônia. É uma depressão um pouco mais leve, que pode durar anos, diferentemente de outros tipos de depressão, que são intensos e mais rápidos", diz a doutora em psiquiatria Andrea Feijó Mello, médica responsável pelo Ambulatório de Estresse e Depressão do Programa de Atendimento e Pesquisas em Violência (Prove) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que revela que embora a maior incidência seja em adultos - grande parte mulheres, na faixa dos 30 anos -, crianças e adolescentes também podem ser atingidos.

Quando o mau humor torna-se doença

Mas se todos nós nos sentimos de mal com a vida de vez em quando, como saber então quando o mau humor se torna uma doença? "Quando ele é constante e interfere na produtividade, nos relacionamentos, tanto na vida social quanto no trabalho de uma pessoa, passa a ser considerado um transtorno que precisa ser tratado", salienta a psiquiatra, acrescentando que os tratamentos para quem vive reclamando da vida são medicamentos antidepressivos e psicoterapia. E existe cura para esse transtorno, segundo ela.

Mas quem participa da vida de uma pessoa mal humorada sabe o quanto é difícil a convivência. Para Andrea, não existe uma fórmula para lidar com pessoas assim, porém,  toda ajuda é bem-vinda. "Se o mau humor é rotineiro e prejudica os relacionamentos, o apoio familiar para procurar um tratamento médico é bem-vindo, pois se incomoda os outros, é porque existe aí um prejuízo social", diz.

Por: Elliana Garcia

veja também