Médicos prometem rejuvenescimento com células-tronco, mas usam apenas gordura

Médicos prometem rejuvenescimento com células-tronco, mas usam apenas gordura

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 9:04

Cirurgiões plásticos estão oferecendo supostos tratamentos de rejuvenescimento à base de células-tronco. Grande esperança da medicina atualmente, essas células já começaram a ser testadas para problemas como lesões na medula, mas, por enquanto, elas ainda não podem fazer com que você pareça mais jovem.

Apesar de profissionais, inclusive no Brasil, oferecerem supostos tratamentos com essas células (que têm a capacidade de se transformar em outros tecidos do corpo), os procedimentos são, na verdade, uma "maquiagem" de técnicas com o uso de gordura que já são aplicadas há mais de 20 anos.

O aumento do número de profissionais que oferecem tratamentos estéticos com células-tronco fez o CFM (Conselho Federal de Medicina) emitir um alerta sobre o assunto nesta quarta-feira (14), já que não há comprovação científica de que elas funcionem ou sejam seguras para esse tipo de terapia.

Em certos tratamentos para rejuvenescimento, é comum a aplicação de gordura aspirada da barriga, do culote ou do joelho para dar volume a certas regiões do rosto e aliviar marcas de expressão. No entanto, muitos médicos atualmente prometem "enriquecer" essa gordura com células-tronco, o que faria com que o preenchimento ocorresse de modo mais seguro e eficiente.

Apesar de o tecido adiposo ser rico nesse tipo de célula, não há comprovação de que elas atuem de alguma forma nesse processo.

De acordo com Wanda Elizabeth, membro da Câmara Técnica sobre Produtos e Técnicas em Procedimentos Estéticos do CFM, médicos que fazem esse tipo de promessa, e cobram mais por isso, agem de má-fé.

– O paciente tem o direito de saber que, mesmo que o médico acredite mesmo que as células-tronco tenham alguma função ali no procedimento, o que está sendo injetado ali é gordura.

O cirurgião plástico Ithamar Stocchero, presidente da Abraton (Associação Brasileira de Engenharia de Tecidos e Estudos das Células-Tronco), explica que essas células, para se diferenciarem e passarem a agir como outro tecido do corpo, precisam de um comando do organismo. Não está claro qual seria esse "gatilho" quando se trata de tratamentos estéticos ou quais os efeitos práticos disso.

– Você pode injetar células-tronco, mas precisa dizer no que ela deve se transformar. Então, existe célula-tronco ali [no tecido da gordura]? Sim. Mas há alguma utilidade prática nisso atualmente? Não.

Wanda diz que algumas entidades ou associações utilizam nomes estrangeiros para sugerir credibilidade aos pacientes ou para vender aos médicos treinamento em "técnicas pseudocientíficas", sem comprovação.

Hoje há estudos sobre a injeção de células-tronco para fins estéticos, mas ainda são métodos em experiência, vinculados a entidades específicas, e não aplicados em "pacientes comuns", mas sim em voluntários que aceitam participar da pesquisa, diz a especialista.

– Não tem sentido prometer absolutamente nada com novas técnicas que não têm comprovação científica. Enquanto isso não tiver rigor científico, com um prazo de acompanhamento, número de casos de sucesso, comprovação de que as células-tronco podem ter esse tipo de ação, isso tem de ser feito com critério.

Segundo CFM, por causa disso "não há possibilidade de uso, em clínicas privadas, de terapêuticas que envolvem células-tronco".

O conselho diz que o médico que viola as normas éticas da profissão está sujeito a penas como advertência, censura pública em publicação oficial, suspensão do exercício profissional por até 30 dias e cassação da licença.

veja também