Médicos-residentes pedem reunião com o governo. Greve continua com manifestações

Médicos-residentes pedem reunião com o governo. Greve continua com manifestações

Atualizado: Quarta-feira, 25 Agosto de 2010 as 8:41

A greve dos médicos-residentes continua nesta terça-feira (24) com manifestações em pelo menos sete Estados do país. Além de manter a paralisação, a ANMR (Associação Nacional dos Médicos Residentes), que lidera o movimento, protocolou nesta segunda-feira (23) em Brasília um pedido de reunião com os ministérios da Educação e o da Saúde para discutir as propostas dos residentes e chegar a um acordo para acabar com a greve.

Os médicos pedem reajuste de 38,7% na bolsa-auxílio, que há quatro anos vale R$ 1.916,45, além de auxílio moradia e alimentação, a 13ª bolsa-auxílio, o cumprimento de jornada de 60 horas semanais, entre outras melhorias das condições de trabalho. Para facilitar o contato com o governo, a ANMR instalou na capital federal o comitê de Coordenação Nacional da Greve.

A greve completou uma semana e atinge 90% dos mais de 22 mil residentes do país, segundo a instituição. Nesta terça estão previstas manifestações no Distrito Federal e em pelo menos seis Estados: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Amazonas.

Na próxima quarta-feira (25), a Comissão Nacional de Greve, que reúne representantes estaduais, terão reunião em Brasília para avaliar a mobilização.

O governo ofereceu até agora 20% de reajuste, recusado pelos grevistas. Para o ministro da saúde, José Gomes Temporão, a paralisação da categoria é equivocada porque o governo está aberto a negociar.

A greve tem apoio do CFM (Conselho Federal de Medicina), da Fenam (Federação Nacional dos Médicos) e da AMB (Associação Médica Brasileira).

veja também