Médicos "superdifusores" causam maioria das infecções, diz estudo

Médicos "superdifusores" causam maioria das infecções, diz estudo

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2009 as 12

Gripe suína e infecções hospitalares talvez tenham uma arma em comum: as mãos sujas de médicos e enfermeiras que agem como um germe "superpropagador".

Didier Guillemot, do Instituto Pasteur, em Paris (França), e seus colegas criaram um modelo matemático de uma hipotética unidade intensiva de saúde (UTI), com uma equipe composta por 22 pessoas.

Eles descobriram que a equipe médica que observava todos os pacientes propagavam mais germes do que aqueles que viam apenas alguns pacientes de forma muito próxima. Se apenas um dos primeiros sempre deixa de lavar as mãos, pode causar mais infecções do que equipe inteira do hospital, em um quarto de tempo.

Hospitais utilizam o consumo de produtos de higiene para mãos como forma de monitorar a lavagem de mãos, diz Laura Temime, do Conservatório Nacional de Artes e Ofícios em Paris. "Nosso estudo sugere que a checagem individual seria melhor."

Se a epidemia de gripe suína inunda os hospitais, a equipe vai ter mais pacientes gerados pelos "superdifusores".

veja também