Meu colesterol está alto e agora?

Meu colesterol está alto e agora?

Atualizado: Segunda-feira, 4 Agosto de 2008 as 12

Poucos brasileiros têm o hábito de fazer exames de colesterol. Segundo dado da Sociedade Brasileira de Cardiologia mais de metade da população nunca fez a medição. Entre aqueles que fizeram, entretanto, muitos tiveram a má notícia: o colesterol precisa ser controlado!

A principal atenção deve ser dada à alimentação, pois os hábitos alimentares ruins são os principais responsáveis pelo excesso do LDL (conhecido como colesterol ruim) no sangue. "O colesterol está presente apenas em alimentos de origem animal como carnes, ovos, leite e derivados, por isso, é fundamental cuidar com o consumo constante e excessivo desses alimentos", observa Juliana Garcia, nutricionista da Clínica Contato.

Além da redução de alimentos de origem animal, o paciente com colesterol alto precisa adicionar na sua dieta uma combinação adequada de frutas, vegetais, cereais integrais e oleaginosas. "Muitas vezes, a pessoa precisa de um acompanhamento profissional para ajudá-la a modificar hábitos alimentares que vêm desde a infância", comenta a nutricionista.

Nesse novo estilo de vida que precisa ser adotado, a acupuntura pode ser uma grande aliada, pois promove o equilíbrio do sistema endócrino e melhora a circulação sangüínea. "Com a estimulação periférica, a técnica ajuda o organismo a eliminar o colesterol ruim e a produzir o colesterol bom. O próprio corpo, quando estimulado, promove o equilíbrio das substâncias", explica o Carlos Augusto Torro, acupunturista do Grupo CBES.

Os pacientes que já tomam remédios para tratamento de problemas com colesterol não têm contra-indicação para o uso da acupuntura, muito pelo contrário. "A técnica ajuda na absorção de diversas substâncias, inclusive de medicamentos, potencializando os seus efeitos", explica o acupunturista.

Cuidado na infância

As crianças também podem ter níveis de colesterol alterados, principalmente, devido à alimentação rica em gordura e açúcares e pobre em legumes, frutas e verduras. "O que agrava o problema é que elas acabam se tornando sedentárias e o organismo de uma criança que não pratica exercícios tende a reduzir a produção do HDL e aumentar o LDL", salienta Juliana. Uma criança com esse perfil é uma grande candidata a apresentar problemas cardíacos futuramente.

Postado por: Claudia Moraes

veja também