Miomas são tumores benignos, mas precisam de cuidados

Miomas são tumores benignos, mas precisam de cuidados

Atualizado: Quinta-feira, 21 Janeiro de 2010 as 12

No title Miomas uterinos são tumores benignos que podem trazer incômodos ou simplesmente não apresentar sintomas. Por isso, é importante visitar o médico regularmente para identificá-los, principalmente porque podem interferir até mesmo na fertilidade da mulher. Confira abaixo 12 informações sobre o problema, listados pela ginecologista Rosa Maria Neme, diretora do Centro de Endometriose São Paulo:

1) A causa dos miomas é genética e o crescimento deles acontece, na maioria das vezes, por ação do estrógeno, hormônio produzido no ovário da mulher em idade reprodutiva.

2) Toda mulher pode desenvolver mioma. Após os 50 anos, a chance de ter é de 50%.

3) O problema pode acontecer em diferentes partes do útero e, por isso, conta com três classificações: subseroso (quando está localizado do lado de fora do útero), intramural (na musculatura do útero) e submucoso (dentro do útero).

4) Os sintomas são cólicas fortes, menstruação prolongada ou sangramento irregular.

5) O mioma pode virar um leiomiossarcoma (tumor maligno). Mas a chance é baixa: de 0,3 a 0,5%.

6) Pode interferir na fertilidade, dependendo da localização. Por isso, quando forem submucosos ou intramurais de grande volume ou localizados perto das trompas, devem ser operados.

7) O diagnóstico é realizado por meio de exames como o ultrassom e a ressonância magnética.

8) O tratamento depende do tamanho e da localização do mioma. Mas, em geral, é cirúrgico.

9) Em casos de miomas submucosos, sempre é recomendado retirá-los por histeroscopia (cirurgia em que se coloca uma câmera de vídeo por dentro do útero, sem cortes externos). Se a paciente tem algum dos outros tipos, a cirurgia é reservada àquelas com muitos sintomas ou em miomas de grande volume.  

10) Podem ser usadas medicações para diminuir o tamanho do mioma, mas sempre antes de um procedimento cirúrgico.

11) Outro tratamento é a embolização, que consiste em colocar um cateter até a artéria que irriga o mioma e, então, interromper o fluxo de sangue. Dessa forma, há redução do tumor, evitando algumas cirurgias. No entanto, é indicado principalmente para mulheres com contra-indicações cirúrgicas ou com filhos e que não desejam ter mais, já que existe um risco (extremamente pequeno) de haver necrose de todo útero com necessidade de sua retirada.

12) Somente se retira o útero de mulheres com filhos e com miomas de grande volume (útero aumentado semelhante ao de uma gestação de cinco meses para cima) ou muito sintomáticos.

veja também