Morar sozinho e comer bem: é mais fácil do que pensamos

Morar sozinho e comer bem: é mais fácil do que pensamos

Atualizado: Quarta-feira, 19 Março de 2008 as 12

Morar sozinho e comer bem. Arrumar a própria mesa para a refeição, mesmo que seja só para si mesmo. Escolher semanalmente um cardápio e chegar em casa sabendo o que vai comer naquela noite após um dia atribulado de trabalho. Tudo isso é possível e proporciona um bem enorme à saúde, facilita a perda e a manutenção do peso ideal e auxilia o solteiro a organizar a própria vida.

A maioria das pessoas se diz desestimulada em preparar uma refeição para si. "Cozinhar só para mim?", muitos se perguntam, como se não fossemos motivo suficiente para essa mobilização. "Mal sabem eles que se o problema for solidão, nada melhor do que uma comidinha carinhosamente preparada para acalentar e evitar a compulsão que nos faz devorar rapidamente pães, embutidos, bolachas, salgadinhos e todo o tipo de guloseimas", afirma a diretora clínica do Citen, Centro Integrado de Terapia Nutricional, Ellen Paiva.

Por outro lado, se o problema for preguiça, recomenda a médica, "nada mais estimulante do que aprender a cozinhar de forma prática, versátil e saborosa. Essas pessoas nunca mais lançarão mão de sopões ou shakes, pois aprenderão que podem comer muito melhor e serão mais exigentes com relação às suas refeições", defende.

De acordo com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares, divulgada pelo IBGE, as pessoas que moram sozinhas gastam mais com alimentos. Elas adquiriram, em 2003, um total de 560,68 quilos de alimentos, contra 509,04 quilos comprados por casais sem filhos ou 324,53 kg adquiridos por casais com filhos. Segundo o IBGE, o desperdício no caso de quem mora sozinho é maior. Como alguns produtos não são vendidos em pequena quantidade, os alimentos estragam mais rapidamente e tendem a ser substituídos com uma maior rapidez.

Cuide-se

Quando moramos sozinhos precisamos conviver muito bem conosco. Aliás, esse é o primeiro passo para conviver bem com as outras pessoas. Dessa convivência podemos absorver conhecimentos culinários que nos agradem, manusear inicialmente alimentos de fácil preparo. E posteriormente evoluir, de acordo com nossa maior ou menor aptidão, para preparar receitas mais elaboradas, chegando até a surpreender a família ou os amigos com um jantar especial. "E para quem não sabe cozinhar, é preciso conhecer melhor os alimentos prontos que compramos no supermercado, para saber compor o prato quando chegamos em casa à noite. O importante é que consigamos comer bem, mesmo morando sozinhos", defende a nutróloga Ellen Paiva.

Como montar o cardápio do solteiro?

A seguir, Ellen Paiva fornece recomendações importantes para quem mora sozinho e deseja se alimentar bem:

1) O cardápio da semana deve ser preparado no sábado, o que gera uma lista de supermercado semanal, que possibilita a compra apenas dos itens necessários para aquela semana. É pratico, evita desperdícios ou a opção incorreta de lanches muito calóricos ou repetitivos, por pura falta de planejamento;

2) Comece sempre pela proteína que o restante do cardápio virá facilmente à cabeça. Por exemplo: sobre-coxa de frango assada na segunda-feira, salmão grelhado na terça-feira, lagarto cozido na quarta-feira, atum light na quinta e bife de panela na sexta-feira. Aqui, podem entrar o ovo e as proteínas vegetais como a soja e os feijões;

3) Associe à proteína um carboidrato, que pode ser arroz, batata assada, cozida ou em purê, pão, milho, mandioca ou mandioquinha e macarrão;

4) Estabeleça uma salada para a semana, principalmente com itens que garantam a possibilidade de maior validade ou duração como grão de bico ou feijão cozido ao dente, berinjela assada, abobrinha levemente aferventada, cenoura pouco cozida, crua ou ralada, ervilha fresca e milho cozido. Lave um tipo de folha como alface ou rúcula, seque bem e guarde separadamente na geladeira para ser adicionada à salada na hora da refeição;

5) Escolha uma fruta da estação em estágios diferentes de amadurecimento para que possa ser utilizada como sobremesa durante toda a semana em vários tipos de preparações. Por exemplo, o abacaxi que pode ser servido em fatias geladas com raspas de hortelã ou casca de limão, cozido em calda com adoçante de forno e fogão, cozido em pedacinho e incorporando gelatina de abacaxi;

6) Sempre que for preparar um tipo de alimento, faça-o em quantidade dobrada para poder congelar e ser utilizado numa outra ocasião. Isso facilita a vida e otimiza o pouco tempo que temos para cozinhar;

7) Eventualmente, podemos preparar um lanche com pão e rosbife de lagarto, patê de atum com ricota, utilizando maionese light. Nesse sentido, podemos também ousar ainda mais e preparar um cachorro quente, um hambúrguer ou até um sanduíche com pão sírio à moda de um beirute de rosbife. Mesmo com lanches, uma saladinha é sempre uma ótima acompanhante.

Postado por: Claudia Moraes

veja também