Mulheres erram ao usar colírio para glaucoma para embelezar

Mulheres erram ao usar colírio para glaucoma para embelezar

Atualizado: Segunda-feira, 6 Setembro de 2010 as 1:23

Cílios longos, escuros e espessos. Qual mulher não sonha acordar e dormir linda assim, como se tivesse acabado de passar rímel? No entanto, algumas delas estão abusando da estética e prejudicando a saúde, usando colírios para o glaucoma em busca dos tão sonhados cílios perfeitos.

Mas o oftalmologista Juscelino de Oliveira, do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB) faz um alerta: o uso desse medicamento, sem orientação médica, pode causar uma série de efeitos colaterais. "Entre as principais reações do uso de colírios glaucomatosos usados somente para fins estéticos estão alergia, vermelhidão ocular, lacrimejamento, irritação, inflamação, hipertensão, náuseas, dor de cabeça e até falta de ar", afirmou o médico.

Bimatoprosta, latinoprosta e travoprosta, componentes usados para baixar a pressão ocular no glaucoma, são as substâncias responsáveis pelo alongamento dos cílios. O crescimento é um efeito colateral já familiar aos pacientes que têm glaucoma. No entanto, vale ressaltar que somente neste caso a aplicação do remédio é válida. "Os colírios proporcionam maior controle da pressão intraocular do paciente glaucomatoso. É sempre mais vantajoso garantir uma qualidade de visão por períodos maiores e ter os cílios alongados do que diminuir o tempo de visão", disse.

Cegueira

O glaucoma (neuropatia óptica glaucomatosa) é causado por um dano no nervo óptico, que é o veículo dos estímulos luminosos ao cérebro. O nervo é lesado principalmente por aumento da pressão nos globos oculares. "A pressão intraocular elevada é um fator de risco significativo para o desenvolvimento de glaucoma, mas não dá para fazer uma relação direta entre um determinado valor da pressão intraocular e o aparecimento da doença. Enquanto uma pessoa pode desenvolver dano no nervo com pressões relativamente menores, outras podem ter pressão intraocular elevada durante anos sem apresentar lesões. Por isso, falamos em pressão inadequada para cada indivíduo", explica Juscelino.

A doença não tem cura, mas pode ser controlada. O tratamento é à base de colírios, entre eles os que contêm a bimatoprosta, a latinoprosta e a travoprosta. Quando não surte efeito esperado, há a possibilidade de uma intervenção cirúrgica, com o mesmo objetivo de controlar a pressão inadequada.

Conhecido como a maior causa de cegueira irreversível no mundo, o glaucoma raramente apresenta sintomas. A melhor maneira de descobrir é fazer consultas regulares ao oftalmogista, onde será feita uma avaliação cuidadosa do nervo óptico num exame de fundo de olho, que também medirá a pressão intraocular.

fonte: Terra

Postado por: Juliana Melo

veja também