Mulheres que trabalham à noite tendem a engordar

Mulheres que trabalham à noite tendem a engordar

Atualizado: Terça-feira, 22 Novembro de 2011 as 9:14

Pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (Unicamp) descobriram que os hormônios que regulam o apetite, grelina e xenina, atuam de forma desregulada em mulheres que trabalham de noite, fazendo com que elas ganhem peso por alterar o padrão de apetite dessas mulheres.

O estudo, divulgado no Jornal da Unicamp nesta segunda-feira (21), foi coordenado pelo endocrinologista Bruno Geloneze e realizado pela fisioterapeuta Daniela Schiavo, que comparou os mecanismos de fome e saciedade de 12 mulheres que trabalhavam no setor de limpeza durante o dia e 12 que o faziam de noite, na faixa etária entre 25 e 45 anos, com mesmo padrão de atividade física e Índice de Massa Corpórea (IMC).

Daniela contou ao jornal que geralmente credita-se o ganho de peso dos trabalhadores noturnos ao estresse que faz com que comam de maneira errada, mas os hormônios é que exercem papel fundamental nesta função. A fisioterapeuta explicou que meia hora antes da refeição, o hormônio grelina chega ao seu pico, dando o sinal de que é hora de comer.  

"O pico de grelina desencadeia a hora de comer e, na hora em que a pessoa está com a sensação de saciedade, ele fica mais baixo", contou, lembrando que a xenina é outro hormônio estomacal que age em oposição à grelina, ou seja, quando um está alto, o outro está baixo e vice-versa.

Ao analisarem como os hormônios atuam nas trabalhadoras noturnas, descobriu-se que a grelina não reduziu após a refeição, não levando à sensação de saciedade. Geloneze explicou que a pessoa que não sente saciedade tende a comer pouco, mas com mais frequência e dificilmente opta por alimentos de qualidade e baixa caloria, colaborando para o aumento significativo de peso.

A perspectiva das pesquisas da Unicamp está em encontrar fármacos para interferir na grelina e na xenina, recuperando-se o padrão fisiológico e repercutindo na perda de peso.

veja também