Musicoterapia auxilia no desenvolvimento pessoal

Musicoterapia auxilia no desenvolvimento pessoal

Atualizado: Quinta-feira, 15 Setembro de 2011 as 1:38

Utilizada nas mais diversas formas de tratamento para crianças e adultos de todas as idades, a musicoterapia é um método pouco difundido, mas que apresenta resultados positivos como, por exemplo, em terapias aplicadas em escolas e hospitais de todo o País a fim de desenvolver a cognição, atividade motora, linguística, melhora na aprendizagem, entre outros.

A terapia da música é empregada, principalmente, no trabalho com portadores de deficiência, visão, audição, dislexia, doenças mentais, distúrbios compulsivos e até mesmo via intra-uterina. Os beneficiados dessa terapia são diversos, pois a música transpõe barreiras, trabalha a formação do indivíduo e a melhoria de sua qualidade de vida, além de estimular as ações físicas, sensoriais e sociais do paciente.

Crianças muito ativas, com dificuldade de concentração e que não acompanham o ritmo da sua turma na escola podem ser beneficiadas pela musicoterapia. “O tratamento é feito de acordo com cada caso, no qual a terapia age como um intermediário na comunicação entre a criança e o mundo com que ela se relaciona. Desenvolvendo assim seu foco e atenção”, explica a professora Maristela Smith, coordenadora do curso de Musicoterapia do Complexo Educacional FMU.

A musicoterapia também é empregada em portadores de necessidades especiais como método diferencial em crianças. “A terapia da música traz a tona sua criatividade, evolui a cognição, aperfeiçoa sua função motora, melhora sua integração social e a capacidade de concentração”, justifica a professora.

A atividade proporciona um grande avanço aos pacientes em tratamento, seja uma criança portadora de deficiência ou com desvio de conduta, o benefício é evidente com a aplicação desta terapia. “Com a ajuda de uma equipe multidisciplinar, a musicoterapia irá desenvolver esse paciente, a partir de seus procedimentos clínicos, e irá evoluir esse indivíduo na forma como ele se relaciona com o mundo”, finaliza a docente.

veja também