Na praia, higiene íntima requer mais atenção

Na praia, higiene íntima requer mais atenção

Atualizado: Segunda-feira, 31 Outubro de 2011 as 1:06

No verão, boa parte das brasileiras gosta de aproveitar o calor nas praias do litoral e, na empolgação do calor, acabam se descuidando da higiene íntima. Ficar com o biquíni molhado por muito tempo ou não higienizar a região íntima após o contato com a areia são atitudes perigosas que podem gerar problemas de saúde.

É claro que você não precisa sair correndo da praia ou marcar no relógio o tempo que está de maiô ou de biquíni. Dá para curtir o sol e o mar tranquilamente se, depois, você seguir à risca algumas recomendações. “Basta que, ao voltar para casa ou para o hotel, a mulher lave a região íntima com água corrente e sabonete neutro”, explica o Dr. Paulo Margarido, ginecologista do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP).

Depois da praia

Se a saúde ginecológica da mulher estiver bem, ela não precisa de grandes cuidados ao ir à praia. “Assim que chegar, a mulher deve tomar banho e higienizar a região íntima com água e sabonete líquido devido ao pH ser mais semelhante ao da região que ficou exposta ao sal do mar e à areia”, alerta Dr. Paulo.

Contudo, além do contato com essas substâncias é o biquíni úmido que acaba sendo o grande inimigo das mulheres. Em contato prolongado com a vagina, ele pode abafar a região tornando o ambiente ideal para a proliferação de fungos e causar infecções como candidíase. Por isso, o ideal é que após o banho a mulher coloque uma calcinha de algodão e roupas leves (que não apertam) ou aqueçam a região vaginal. Vale lembrar que o médico não recomenda ficar com o mesmo biquíni o dia todo.

Evitar o contato com a areia é quase impossível quando se está na praia. Depois de sair do mar, principalmente, é possível sentir alguns grãos na calcinha. A recomendação nesse caso é tomar banho com água corrente e usar sabonete neutro, tomando cuidado para remover toda a área sem deixar que ela penetre no interior da vagina. Mesmo assim, porém, a mulher não deve higienizar com sabonete a parte interna da vagina, pois isso pode acarretar em vulvite.

Praia x problemas pré-existentes

Se antes de viajar a mulher descobrir uma infecção ou tiver com sintomas como coceira, corrimento e ardor, os cuidados devem ser um pouco diferentes. De acordo com o Dr. Paulo, não é preciso alarde, mas é preciso ter cuidado com a exposição ao sol, o contato com a areia e o tempo de uso do biquíni. Segundo o médico, a exposição ao sol, especialmente entre 10h e 16h, pode fazer com que a imunidade caia. Assim, infecções causadas por fungos podem aparecer com mais facilidade. Portanto, eis mais uma razão para evitar o sol nesses horários.

Nesse caso, ir à praia não está proibido, mas é interessante que a mulher evite ficar muito tempo com o biquíni molhado e, ao tomar banho, que utilize um sabonete íntimo. A recomendação da calcinha de algodão e das roupas leves também se mantém. Além disso, é interessante que a mulher durma sem calcinha, para que a região fique ventilada e livre de umidade.

Como lavar biquínis e maiôs

O melhor a fazer é, assim que retirar a peça, lavá-la em água abundante para remover todo o sal do mar ou a química presente da água da piscina, seja ela tratada com cloro ou ozônio. Como estarão em contato direto com a região da vagina, essas peças devem ser lavadas somente com água e sabão neutro (em pó, líquido ou de coco). E atenção: não use amaciante, por causa da química de seus componentes.

veja também