Não seja vítima do colesterol alto e nem dos boatos sobre ele

Não seja vítima do colesterol alto e nem dos boatos sobre ele

Atualizado: Segunda-feira, 1 Fevereiro de 2010 as 12

No title Você está dentro do peso ideal, mantém uma dieta balanceada e não deixa de praticar exercícios. Por conta disso, sente-se livre do colesterol alto. Infelizmente, este mal silencioso não é assim tão simples de evitar. As causas genéticas e a ausência de sintomas explicam os números que tanto assustam os especialistas: no Brasil, por volta de 40 milhões de pessoas estão com as taxas de colesterol alteradas. Deste grupo, somente 200 mil (ou 0,5%) estão em tratamento, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Não é espantar, portanto, que o assunto provoque cada vez mais interesse. Basta tocar no assunto, que alguém cita uma receita infalível para combater a doença ou cita a história de um parente que se desdobra para vencer o problema. O pior? Dificilmente as informações coincidem. Ovos, vinho tinto, o poder da berinjela e até o próprio conceito e colesterol rendem debates que, muitas vezes, terminam com mais confusão do que esclarecimento. Antes que você caia em mais uma dessas discussões, confira abaixo a opinião dos especialistas sobre alguns dos tópicos que fazem mais sucesso e provocam os ânimos.

A polêmica do vinho tinto

O consumo moderado de vinho tinto é seu aliado para o controle do colesterol. As uvas roxas contêm flavonóides, substâncias que protegem o coração contra as placas de gordura que podem se formar nas paredes das artérias (os ateromas). Mas os benefícios não param aí: outra substancia, chamada resveratrol, dilata os vasos sanguíneos e melhora a circulação, além de aumentar o HDL (bom colesterol).

Mas se há tantas vantagens, por que a moderação? Devido à presença do álcool, que sobrecarrega o fígado para ser metabolizado (justamente a mesma glândula responsável pelo equilíbrio dos níveis de gordura no sangue). Para quem está com as taxas balanceadas, um cálice diário de vinho é boa pedida. "Já pacientes em tratamento precisam conversar antes com o médico antes de acrescentar a bebida na rotina (até porque ela pode atrapalhar o efeito dos medicamentos usados no controle da doença)", afirma o cardiologista Francisco Antonio Fonseca, da Unifesp. Enquanto o dia da consulta não chega, portanto, usufrua dos benefícios tomando um copo de suco de uvas ele traz as vantagens da fruta sem os riscos do álcool.

Fim da condenação dos ovos

Condenados por muitos anos, os ovos não são tão nocivos como muita gente ainda pensa "Os 200mg. de colesterol da gema não chegam a ser um perigo numa dieta balanceada. Além disso, os ovos são uma fonte de proteína insubstituível no cardápio do brasileiro", afirma o cardiologista. E não é só isso: atualmente, os pesquisadores dedicam-se a entender o papel de uma substância conhecida por fosfolipídio, presente na gema, e que impediria que seu organismo acumulasse o colesterol contido na gema. Comer ovos três vezes por semana é a indicação médica para pessoas saudáveis.

Colesterol, todo mundo tem

O colesterol é um membro da família dos lipídios esteróides e, na sua forma pura, é um sólido cristalino, branco, insípido e inodoro. Apesar da má fama, é um composto essencial para a vida, estando presente nos tecidos de todos os animais. "Sem colesterol, não é possível viver, já que é um dos componentes básicos do sistema nervoso e das membranas celulares, e ainda, participa na formação de alguns hormônios, da vitamina D e da bile (produzida pelo fígado)", afirma a nutricionista Solange de Oliveira Saavedra, do Conselho Regional de Nutricionistas (CRN) - 3ª Região (São Paulo e Mato Grosso do Sul).

O colesterol é obtido por meio de síntese celular (colesterol endógeno, sintetizado pelo fígado: 70%) e da dieta (colesterol exógeno: 30%). Com exceção das pessoas que herdaram os excessos por causas genéticas, as taxas altas são resultado da alimentação desregrada e do sedentarismo.

A pílula em xeque

O anticoncepcional, à base de estrógeno e progesterona, pode interferir nos níveis de colesterol. Isso porque a progesterona aumenta o LDL (colesterol ruim) e diminui o HDL (colesterol bom). Mas a alteração é suave é, geralmente, só atrapalha mulheres com tendência ao problema.

Mais uma do cigarro

O cigarro diminui a capacidade que o organismo tem de remover o excesso de colesterol. "As partículas tóxicas prejudicam a ação do HDL e, dessa maneira, fazem com que os níveis de gordura aumentem", afirma o cardiologista da Unifesp.

Vai uma berinjela aí?

A berinjela é um vegetal com alto teor de água, baixo teor de proteínas, rica em fibras, sais minerais (cálcio, fósforo, potássio e magnésio), vitaminas (A, B1, B2, niacina e vitamina C) e flavonóides (ela é roxa, como as uvas do vinho tinto). "As fibras solúveis do legume inibem a absorção do colesterol no intestino. Isso não significa que comer muita berinjela diminui bruscamente os níveis de colesterol, mas o consumo regular é aliado no tratamento", afirma Solange.

veja também