Nova opção para o tratamento do diabetes tipo 2

Nova opção para o tratamento do diabetes tipo 2

Atualizado: Segunda-feira, 5 Julho de 2010 as 4:15

A partir deste mês, os pacientes brasileiros com diabetes tipo 2 têm mais uma opção para o tratamento da doença, o ONGLYZA™ (saxagliptina).  A nova droga que é o resultado de uma parceria entre a Bristol-Myers Squibb e a AstraZeneca, é da classe dos inibidores da dipeptidil peptidase-4 (DPP4) e indicado para o tratamento do diabetes tipo 2, como um adjuvante à dieta e exercícios para melhorar o controle do açúcar (controle glicêmico) em adultos.

Aprovado em 2009 pela ANVISA, Food and Drug Administration (FDA) e pela comissão européia, EMEA, a saxagliptina é uma terapia oral, que atua diretamente no mecanismo de funcionamento das incretinas, hormônios que estimulam a produção de insulina pelo pâncreas. A saxagliptina pode ser utilizada em conjunto com medicamentos antidiabéticos orais geralmente prescritos - metformina, tiazolidinedionas ou sulfoniluréias (TZD) - ou como monoterapia, para reduzir os níveis de hemoglobina glicosilada (HbA1c).

Os estudos de fase III da nova terapia envolveram cerca de cinco mil indivíduos, sendo que mais de quatro mil receberam a saxagliptina. Durante todos os estudos, o tratamento com o medicamento proporcionou reduções importantes e estatisticamente significantes nas três medidas-chave de controle da glicose estudadas - HbA1c, glicemia de jejum (GJ) e glicemia pós-prandial (GPP) - quando em conjunto com a metformina, as sulfoniluréias e as TZDs, ou quando usado como monoterapia.

O medicamento chega no momento em que todos os esforços nessa área são fundamentais, já que, de acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 11 milhões de brasileiros são diabéticos, sendo cerca de 90% portadores do tipo 2 da doença. No mundo, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que o diabetes está se tornando a epidemia do século, afetando cerca de 246 milhões de pessoas em todo o mundo, porém cerca da metade das pessoas que têm diabetes desconhece ser portadora da doença. Dados do atlas de diabetes da IDF (International Diabetes Federation) revelam que, em 2030, 438 milhões de adultos, 7,8% da população de 20 a 79 anos, terão diabetes. O maior crescimento deve ser registrado nos países em desenvolvimento.  

O trabalho de cooperação entre a Bristol-Myers Squibb e a AstraZeneca

A Bristol-Myers Squibb e a AstraZeneca assinaram um acordo de cooperação para possibilitar às empresas pesquisar, desenvolver e comercializar medicamentos experimentais específicos para o diabetes tipo 2. A cooperação entre a Bristol-Myers Squibb e a AstraZeneca visa o tratamento dos pacientes em escala global, melhorando os desfechos e criando uma nova visão para o tratamento do diabetes tipo 2.

Sobre a Bristol-Myers Squibb

A Bristol-Myers Squibb é uma empresa biofarma com foco em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos para o tratamento de câncer, doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, distúrbios psiquiátricos, Alzheimer, hepatites, HIV/AIDS, artrite reumatóide e pós-transplantes. Além de medicamentos de alta complexidade, no mercado local a companhia atua no segmento de OTC com as marcas Luftal, Dermodex e Naldecon.

Sobre a AstraZeneca

A AstraZeneca é uma importante companhia internacional de serviços de saúde envolvida com pesquisas, desenvolvimento, produção e comercialização de medicamentos vendidos sob prescrição médica e fornecedora de serviços de saúde. É também uma das maiores empresas farmacêuticas, líder em medicamentos gastrointestinais, cardiovasculares, neurológicos, respiratórios, oncológicos e de doenças infecciosas. Para mais informações sobre a empresa, visite: www.astrazeneca.com.br.

veja também