Número de mulheres que fazem mamografia cresce quase 50% no Brasil

Número de mulheres que fazem mamografia cresce quase 50% no Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 31 Março de 2010 as 12

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam que, entre 2003 e 2008, cresceu em 48% o número de mulheres que já se submeteu a uma mamografia, exame que detecta a possível presença de câncer de mama.

Em 2003, o número de pessoas do sexo feminino submetidas a esse teste representava 42,5% das mulheres com ao menos 25 anos de idade, índice que saltou para 54,8% em 2008 (31,6 milhões de pessoas). Entre as mulheres de 50 a 69 anos de idade, a taxa é de 71,1%.

As informações são do suplemento da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgado nesta quarta-feira (31) pelo IBGE. De acordo com a pesquisa, a realização do exame varia de acordo com a renda da mulher.

- Entre as mulheres que viviam em domicílios com rendimento mensal domiciliar per capita superior a cinco salários mínimos, 81,1% haviam se submetido a exame de mamografia. E nos domicílios onde o rendimento era inferior a um quarto do salário mínimo, apenas 28,8% o fizeram.

No Brasil, o Inca (Instituto Nacional do Câncer) recomenda, desde 2003, mamografias a partir dos 50 anos, realizadas a cada dois anos. Países da Europa e o Canadá fazem o mesmo. Os Estados Unidos fizeram uma revisão e agora se alinharam aos demais países - antes a recomendação era que o exame fosse realizado anualmente, a partir dos 40 anos de idade. .

Segundo a pesquisa, em 2008, entre as 58 milhões de mulheres com 25 anos ou mais que moram no país, 40,7 milhões (70,2%) já haviam se submetido, ao menos uma vez na vida, a exame clínico das mamas, realizado por médico ou profissional de saúde. Entre as mulheres com 40 anos ou mais de idade, o percentual chega a 74,7%. Em 2003, apenas 31,5 milhões de mulheres já haviam se submetido a esse tipo de exame.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também