Nutricionista do RJ cria chocolate que ajuda a emagrecer

Nutricionista do RJ cria chocolate que ajuda a emagrecer

Atualizado: Segunda-feira, 10 Agosto de 2009 as 12

Poder se deliciar com um chocolate durante o período de emagrecimento e tê-lo como um verdadeiro aliado no combate à ansiedade e àquela vontade louca de comer... Isso lhe parece um sonho? Pois é o que promete o cho colate saciante, desenvolvido pela nutricionista Fernanda Machado Soa res, do Rio de Janeiro. "A ideia de criar um chocola te que aumentasse a saciedade par tiu da necessidade de comer o do ce, relatada por muitos pacientes. Aproximadamente 55% deles con so mem a iguaria regularmente", revela a nutricionista.

Por quase um ano ela estudou alternativas para a criação de uma versão sem glúten, açúcar, gordura trans e lactose (açúcar do leite) associado a ingredientes nutracêuticos (que nutrem e trazem benefícios comprovados à saúde). Em abril, seu objeto de estudo se materializou. O veículo escolhido foi o chocolate à base de soja, que segundo Fernanda, mesmo sem a adição de fitonutrientes, já apresentou resultados na sensação de saciedade durante os testes realizados. "Com essa constatação, o chocolate ficou o mais natural possível, contendo somente a base de soja, alga mexicana espirulina (fonte de vitami na B12 e rica em fenilalanina, nutriente que atua no controle do apetite) e polissacarídeos mussilaginosos da babosa, que auxiliam no trânsito intestinal e redução da absorção de gordura proveniente da dieta. O produto tem apenas 120 kcal / 25 g e é capaz de provocar até quatro horas de saciedade, 20 minutos após o seu consumo", detalha Fernanda.

Da prescrição

De acordo com a nutricionista, a fórmula básica é igual para todos os pacientes, no entanto, é possível adicionar aminoácidos, vitaminas e minerais. Isto porque, com o desenvolvimento do chocolate saciante, descobriu-se a possibilidade de utilizálo como veículo alternativo às cápsulas usadas pelas prescrições manipuladas de nutrientes. "Com isso, é possível elaborar um chocolate para as necessidades específicas de cada paciente, adicionando os nutrientes desejáveis", comenta. Vale destacar que qualquer farmácia pode manipular o produto, desde que tenha a fórmula-base desenvolvida pela Primaterápica Manipulação de Petrópolis (RJ). "É uma garantia de que o chocolate não terá alteração do sabor", comenta Fernanda. O preço da barra, de 25 g, que deve ter a prescrição do nutricionista, varia de R$ 5,00 a R$ 6,00 a unidade.

Mecanismo de ação

Segundo Fernanda, o chocolate saciante atua revestindo a parede interna do estômago, promovendo a sensação de saciedade. O aminoácido fenilalanina, presente na alga que compõe o chocolate, ativa neurotransmissores como a CKK (colecistocinina) que estimula a secreção de enzimas e envia mensagens ao cérebro e ao aparelho digestório de saciedade, eliminando o apetite. "A saciedade varia de pessoa para pessoa, mas o que observamos é que há uma redução no apetite, principalmente por doces, 20 minutos após a ingestão do chocolate com o estômago vazio", revela.

O horário sugerido para o seu consumo é entre 16hs e 17hs, quando há um pico hormonal provocado pelo estresse diário e que resulta em vontade de comer carboidratos à noite. Mas também pode ser ingerido em qualquer outro momento do dia. "Com uma barrinha de chocolate saciante no final da tarde, ficou bem mais fácil controlar a vontade de comer doces à noite. Sem falar que a inibição do apetite tem efeito prolongado. O sabor é muito bom, igual ao de um chocolate meio amargo. Também fiquei menos ansiosa, muitas pessoas notaram que estou mais tranquila", comenta a empresária Claudia Almeida, de 43 anos (RJ), que em menos de duas semanas com o chocolate eliminou 1,8 kg.

Apesar de ter menos calorias do que um chocolate tradicional, não dá para abusar; a ingestão máxima recomendada é de duas barrinhas por dia. O excesso, além de comprometer a perda de peso, também pode resultar em gases, diarreia e enjoo. Em relação ao emagrecimento, ele também varia de pessoa para pessoa, mas a nutricionista afirma que há um mínimo de 1 kg por semana. O chocolate deve ser evitado por gestantes e pessoas com diarreia e alergia à soja ou à espirulina.

Dieta é fundamental

Mas apesar de dar esta força no controle da saciedade e da ansiedade, é bom que fique claro que o chocolate sozinho não faz milagres! É preciso incorporar hábitos saudáveis no dia a dia, inclusive na alimentação. Nem pense que a barrinha faz todo o trabalho sozinha! Por isso, Fernanda sugere uma dieta à base de alimentos ricos em nutrientes, com intervalos curtos entre cada refeição - de pelo menos três horas -, o que também irá ajudar no controle da ansiedade, pois se evita que o hormônio do estresse, o cortisol, chegue num pico extremo, desencadeando uma compulsão alimentar, principalmente por doces. "Outra dica é a ingestão adequada de proteínas e fibras, que aumenta o tempo de esvaziamento gástrico, garantindo saciedade por mais tempo", sugere Fernanda.

veja também