O check-up e a saúde dos homens

O check-up e a saúde dos homens

Atualizado: Segunda-feira, 11 Agosto de 2008 as 12

Segundo especialistas, a mudança de atitude dos homens em relação aos cuidados com a saúde poderia diminuir a incidência de vários problemas como câncer de próstata, doenças cardiovasculares e males relacionados à queda hormonal.

Sempre é importante lembrar que cuidados com a saúde podem evitar ou simplificar o tratamento de diversas doenças no homem, especialmente na maturidade. No entanto, ir ao consultório para checar se tudo vai bem ainda não é o tipo de compromisso que faz parte da agenda da maioria dos homens brasileiros. Mas especialistas dizem: os check-ups são importantes porque permitem o diagnóstico precoce de doenças e de fatores de risco para futuras complicações.   

"A partir dos 40 anos, fazer check-ups se torna mais importante, pois a avaliação ajuda a detectar alterações no organismo e evitar sua evolução para uma doença crônica, por exemplo", explica Ricardo Meirelles, professor de Endocrinologia da PUC-RJ. No caso do homem, exames de sangue como a medição dos níveis hormonais, especialmente da testosterona, são fundamentais. "Como os sintomas da deficiência de testosterona são sutis e podem passar despercebidos, a dosagem anual deste hormônio é recomendada, especialmente a partir dos 50 anos", explica Meirelles.

Estudos clínicos mostram que a correção da deficiência de testosterona, por meio de terapia hormonal, é muito importante para evitar conseqüências cardiovasculares e a osteoporose. "Sabe-se que a deficiência de testosterona está associada ao aumento da gordura abdominal nos homens, fator que eleva o risco de doença coronariana", diz o endocrinologista. Segundo Meirelles, a ação da terapia hormonal pode ser benéfica, tanto aumentando a formação como inibindo a reabsorção óssea, evitando assim a osteoporose.

Hoje, a reposição injetável é a mais indicada pelos médicos e o undecilato de testosterona, princípio ativo do Nebido® (da Bayer Schering Pharma), a forma mais moderna disponível no mercado. O undecilato de testosterona é administrado em aplicações trimestrais (totalizando quatro injeções por ano).

Do ponto de vista urológico, o check-up a partir dos 40 anos de idade pode confirmar, entre outras coisas, se tudo vai bem com a próstata, já que o risco de problemas cresce nessa faixa etária. As complicações mais comuns relativas à glândula são o aumento de tamanho (hiperplasia benigna), a prostatite (inflamação) e o câncer. Os principais exames são o toque retal e o PSA, exame de sangue que detecta a presença de substâncias que podem indicar a existência de câncer. "O exame de toque feito isoladamente falha em até 30% dos casos de tumor maligno e, por isso, deve sempre ser acompanhado do PSA, pois é a combinação desses exames que permite um diagnóstico correto", explica o urologista Geraldo Faria, presidente da Sociedade Latino Americana de Medicina Sexual.

O urologista alerta que homens com antecedentes familiares de câncer de próstata têm mais chances de manifestar o problema antes dos 50 anos de idade. Mas ele é otimista: "tem aumentado o número de pessoas que procura o urologista para a realização de exames periódicos, como a checagem da próstata", conta Geraldo Faria.

Alguns exames que fazem parte do check-up do homem a partir dos 40 anos:

Testosterona, SHBG e Albumina (necessários para o cálculo da taxa de testosterona no sangue) Prolactina (relativo ao diagnóstico de câncer) FSH e LH (relacionados à saúde dos testículos) PSA (detecção de câncer de próstata) Hemograma Avaliação prostática (toque retal)  

Postado por: Claudia Moraes

veja também