O Dia Mundial da Menopausa

O Dia Mundial da Menopausa

Atualizado: Terça-feira, 18 Outubro de 2011 as 9:22

18 de outubro, além de ser Dia do Médico, é também o Dia Mundial da Menopausa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que 1,2 milhões de mulheres terão 50 anos ou mais, em 2030. Levando em conta que a expectativa de vida destas mulheres, após a menopausa, é crescente, é preciso que todos fiquem atentos aos problemas que podem estar associados à falta de hormônios como o estrogênio.

Saiba mais sobre a menopausa:

O que é menopausa?

Com o passar do tempo, o estrogênio também começa a falhar e na ausência desses dois hormônios, fica caracterizada o início da menopausa. Para que isso aconteça, é preciso a confirmação, sem que a mulher menstrue pelo período de um ano. Os sintomas mais frequentes são os famosos calores; perda de apetite sexual, com a diminuição do "trotismo" da vagina; ressecamento da pele; cabelos quebradiços e unhas fracas.

Como se trata a menopausa?

Através da Terapia de Reposição Hormonal (TRH), que é a administração de um hormônio que o organismo deixou de produzir. O endocrinologista faz reposição hormonal para várias glândulas, como tireoide, pâncreas e nesse caso, os ovários. Se a mulher tem útero, a TRH deve ser feita com estrogênio e progesterona. Se não tem, basta o estrogênio, que existe em forma de comprimidos, adesivos, gel, implante e spray nasal. As doses e tipos de estrogênios devem ser individualizados para cada mulher, de forma que ela se sinta confortável. Na reposição bem feita, a mulher não incha, não engorda e se protege da falta de hormônios a longo prazo, como a osteoporose.

O que é climatério?

As mulheres nascem com dois óvulos e neles existem diversos folículos, de número limitado, que serão os futuros óvulos. Quando esse número termina ou está no final, o organismo entra na menopausa, fato que ocorre em torno dos 50 anos. Esses folículos produzem dois hormônios, o estrogênio e a progesterona. Por volta dos 40, 50 anos da mulher, a progesterona deixa de ser fabricada e o primeiro sintoma é a irregularidade menstrual (os ciclos ficam inicialmente mais curtos e depois ocorrem atrasos menstruais), além de irritabilidade, nervosismo e insônia. Essa fase inicial é chamada de climatério ou pré-menopausa.

A menopausa precoce

A Menopausa Precoce ocorre antes dos 40 anos e acomete 1% das mulheres; já a Menopausa Cedo, acontece antes dos 45 anos e acomete 5% das mulheres. A idade da menopausa não se correlaciona com a idade da 1a menstruação e, sim, com a idade com que a mãe e as irmãs da paciente entraram em menopausa. Há fatores que antecipam discretamente a menopausa em um ano como: fumo, laqueadura tubária e histerectomia.

Por outro lado, a menopausa precoce também pode ter causas externas como cirurgia retirando ovários ou grande parte deles, radiação, quimioterapia, além de causas internas. Nesse caso, as principais são as genéticas, ligadas a alterações no cromossoma X (Síndrome de Turner e suas variantes), e autoimunes, associadas a problemas de tireoide, como a Tireoidite de Hashimoto e a Doença de Graves.

Uma outra causa seria a Síndrome de X Frágil, uma condição genética em que portadoras da alteração, em grau leve, teriam menopausa precoce, podendo haver casos na família de crianças com deficiência mental, que seriam os portadores da alteração plena. Assim, Menopausa Precoce é indicação precisa de terapia de reposição hormonal, uma vez que essas mulheres têm risco 4 x maior de doenças cardíacas e 7x maior de osteoporose.

Por Larissa Lessa www.guiame.com.br

Com informações de Endocrino.org

veja também