O que acontece no corpo de um BBB que sofre restrições alimentares?

O que acontece no corpo de um BBB que sofre restrições alimentares?

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 9:08

Canais de televisão, sejam eles brasileiros ou do mundo afora, vêm destinando cada vez mais espaço na grade horária para os famosos reality shows, programas de TV que mostram as situações inusitadas da vida real. Desde o tradicional Big Brother Brasil, já em sua 11ª edição, até A Fazenda, novo sucesso da Rede Record, passando por Casa dos Artistas, No Limite, Hipertensão e Busão do Brasil, entre outros, uma coisa é comum: os participantes são rotineiramente colocados à prova em testes físicos e psicológicos extenuantes.

No BBB, por exemplo, os candidatos a milionário precisam conquistar o direito de comprar os seus alimentos do dia-a-dia. Na maioria das vezes, um grupo não consegue cumprir a missão da vez e, por isso, passa fome durante a semana, tendo que racionar a comida nas refeições. Daí surge a pergunta: o que acontece com o corpo de um brother ou sister cuja alimentação é restringida? Vamos dar uma espiadinha na ciência para descobrir.

“Essas restrições são idênticas tanto para participantes de reality show, como para quem passa por um jejum prolongado ou por uma greve de fome”, avisa, logo de cara, a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora clínica do Centro Integrado de Terapia Nutricional (CITEN), em São Paulo.

Quando ficamos muito tempo sem encher a barriga, o organismo começa a usar as reservas energéticas para manter suas atividades normais. O estoque de glicose, que fica no fígado e nos músculos, esgota-se de 8 a 12 horas após a última entrada de comidas com carboidrato, como os cereais e as massas. Mas jejuar por apenas três horas já pode culminar em hipoglicemia, uma baixa nos níveis de açúcar no sangue que geralmente causa tonturas, fraqueza e até desmaios.

Se continuar sem comer após o esvaziamento desses armazéns naturais, o brother passa a queimar gordura e proteína corporal, que se transformam em glicose. Em outras palavras, a musculatura vai se degenerando aos poucos para garantir a sobrevivência. No entanto, isso pode gerar irritabilidade e até prostração. O prolongamento exagerado do jejum também causa as doloridas cãibras musculares.

Como bem disse Dalai Lama, “os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois gastam o dinheiro para buscar saúde”. Ficar sem comer por um período de tempo grande não é saudável. Mesmo que você esteja disputando R$ 1,5 milhão de reais.

Fontes: Ellen Simone Paiva – diretora clínica do Centro Integrado de Terapia Nutricional (CITEN) e Sandra Maria Chemin, Coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade São Camilo. Saude Abril

veja também