Obesidade aumenta risco de quedas de idosos

Obesidade aumenta risco de quedas de idosos

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 9:29

Obesos têm diminuição dos sistemas sensoriais ligados ao equilíbrio postural

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP (Universidade de São Paulo), mostra que a obesidade pode aumentar as chances de quedas em idosos durante atividades diárias.

Isso porque o sobrepeso pode causar desequilíbrio postural, uma vez que os obesos apresentam menor amplitude de movimento, ou seja, são mais rígidos. As informações são da Agência USP.

O estudo realizado pelo educador físico José Ailton Oliveira Carneiro aponta que para restabelecer o equilíbrio é exigido um maior torque na articulação do tornozelo, devido ao acúmulo de gordura na região abdominal.

- Por isso os idosos obesos possuem elevados riscos de quedas durante as atividades de vida diária, porque necessitam gerar rapidamente, e com mais força, o torque no tornozelo a fim de manter o centro de massa corporal dentro da base de suporte.

O excesso de peso, explica Carneiro, modifica a geometria do corpo, aumentando a massa dos diferentes segmentos e impondo limitações funcionais relacionadas as articulações.

- Uma dessas limitações está relacionada ao controle de equilíbrio postural. Também há evidências sugerindo que o aumento da massa gorda do corpo diminui a estabilidade postural e aumenta as chances de queda, especialmente quando combinada com a baixa massa muscular.

O estudo tomou como base um teste de equilíbrio aplicado em 46 voluntárias saudáveis. As mulheres foram divididas em três grupos: 15 idosas obesas, com idade entre 65 e 75 anos; 15 idosas com peso considerado normal e 15 jovens, com idade entre 18 e 35 anos, com peso normal. A medição do peso seguiu parâmetros da OMS (Organização Mundial de Saúde), que considera uma pessoa obesa quem tem o IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30kg/m2.

Após analisá-las, o educador observou uma menor amplitude de oscilação postural nas idosas obesas, que mostraram condições sensoriais mais reduzidas.

O objetivo do estudo foi avaliar a influência da idade e da gordura corporal no equilíbrio postural estático entre jovens e idosas, ambas com peso considerado normal, e idosas, consideradas obesas, em diferentes condições sensoriais.

Obesos têm diminuição dos sistemas sensoriais ligados ao equilíbrio postural

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP (Universidade de São Paulo), mostra que a obesidade pode aumentar as chances de quedas em idosos durante atividades diárias.

Isso porque o sobrepeso pode causar desequilíbrio postural, uma vez que os obesos apresentam menor amplitude de movimento, ou seja, são mais rígidos. As informações são da Agência USP.

O estudo realizado pelo educador físico José Ailton Oliveira Carneiro aponta que para restabelecer o equilíbrio é exigido um maior torque na articulação do tornozelo, devido ao acúmulo de gordura na região abdominal.

- Por isso os idosos obesos possuem elevados riscos de quedas durante as atividades de vida diária, porque necessitam gerar rapidamente, e com mais força, o torque no tornozelo a fim de manter o centro de massa corporal dentro da base de suporte.

O excesso de peso, explica Carneiro, modifica a geometria do corpo, aumentando a massa dos diferentes segmentos e impondo limitações funcionais relacionadas as articulações.

- Uma dessas limitações está relacionada ao controle de equilíbrio postural. Também há evidências sugerindo que o aumento da massa gorda do corpo diminui a estabilidade postural e aumenta as chances de queda, especialmente quando combinada com a baixa massa muscular.

O estudo tomou como base um teste de equilíbrio aplicado em 46 voluntárias saudáveis. As mulheres foram divididas em três grupos: 15 idosas obesas, com idade entre 65 e 75 anos; 15 idosas com peso considerado normal e 15 jovens, com idade entre 18 e 35 anos, com peso normal. A medição do peso seguiu parâmetros da OMS (Organização Mundial de Saúde), que considera uma pessoa obesa quem tem o IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30kg/m2.

Após analisá-las, o educador observou uma menor amplitude de oscilação postural nas idosas obesas, que mostraram condições sensoriais mais reduzidas.

O objetivo do estudo foi avaliar a influência da idade e da gordura corporal no equilíbrio postural estático entre jovens e idosas, ambas com peso considerado normal, e idosas, consideradas obesas, em diferentes condições sensoriais.

veja também