MENU

Saúde

Osteoporose pode atingir jovens e crianças, alertam médicos

Osteoporose pode atingir jovens e crianças, alertam médicos

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

Doença conhecida por atacar mulheres pós-menopausa e idosos, a osteoporose pode também aparecer em crianças e jovens, apesar de ser mais rara nesses grupos.

Na verdade, ela atinge 25% das crianças com doenças crônicas, principalmente as que interferem na ingestão e na absorção de nutrientes - especialmente cálcio e vitamina D, o que leva à perda de massa óssea e ao aumento da fragilidade dos ossos. Entre os problemas que podem levar a isso incluem-se doenças intestinais, reumáticas e renais crônicas, além de fibrose cística e de anorexia.

"É uma doença bem silenciosa, não tem um sintoma característico, por isso, só aparece em fase avançada, quando começam as fraturas", diz o Henrique Mota Neto, presidente do Comitê de Osteoporose e Doenças Osteometabólicas da Sbot (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), ressaltando a importância da consulta médica e da realização de exames sempre que houver indícios da doença.

Segundo Maria Teresa Ramos Ascensão Terreri, reumatologista pediatra do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, um tratamento preventivo pode melhorar a qualidade de vida dos pequenos pacientes, o que só é possível se a doença for identificada em crianças com doenças crônicas.

Além disso, a doença também pode afetar jovens que consomem baixa quantidade de cálcio na alimentação e que têm fraturas de repetição e histórico familiar de osteoporose. De acordo com Mota Neto, a quantidade de cálcio recomendada para crianças varia de 800 mg a 1.000 mg. "E o consumo precisa ser diário, mas, no caso de crianças, normalmente não é necessário haver suplementação."

No caso de adolescentes até os 18 anos, o consumo recomendado é de 1.300 miligramas por dia - mesma quantidade aconselhada para mulheres grávidas e em fase de amamentação. Mota Neto lembra, entretanto, "que a ingestão de cálcio por via alimentar nunca é demais".

Além do consumo de leite e de vitamina D, os especialistas também recomendam a exposição ao sol e a prática de exercícios como medidas de prevenção ao problema.

Diagnóstico

O diagnóstico da osteoporose pode ser feito pelo exame de densitometria óssea, mas o exame clínico também é necessário para avaliar se a perda óssea, no caso daquele paciente, é mesmo significativa.

Depois de verificada, a doença pode ser tratada com reposição de cálcio e vitamina D por meio de medicamentos. E tanto a prevenção quanto o tratamento são necessários inclusive para evitar o problema na idade adulta, já que, segundo os médicos, a massa óssea é formada durante a juventude e se deteriora após os 30 anos.

Siga-nos

Mais do Guiame