País lidera número de mortes por gripe A

País lidera número de mortes por gripe A

Atualizado: Quinta-feira, 27 Agosto de 2009 as 12

O Brasil já está com o maior número de mortes causadas por gripe suína. Boletim do Ministério da Saúde mostra que até o dia 22 foram confirmados 557 óbitos pela doença; com números atualizados das secretarias estaduais da Saúde, esse dado sobe para, pelo menos, 581. Em segundo lugar estão os Estados Unidos, com 522 mortes.

O número pode ser ainda maior porque o total de casos suspeitos em investigação é muito superior ao que foi esclarecido. Dos 3.970 casos suspeitos notificados na última semana, 15% tiveram exame laboratorial concluído: 273 confirmados para H1N1, 33, para gripe sazonal e 295, descartados. Desde que a epidemia começou, há acúmulo de 20.775 casos suspeitos na fila do resultado. Com o número oficial divulgado ontem, a taxa de mortalidade no Brasil passa a ser 0,29, o que representa a 7ª maior taxa de mortalidade num ranking de 16 países. Na semana passada, o Brasil ocupava o 9º lugar, com 0,19.

Com esse cenário, a campanha de vacinação de gripe comum, destinada a idosos, pode ser suspensa em 2010. A decisão depende do comportamento que a gripe suína apresentar no inverno do Hemisfério Norte e na experiência desses países com o uso da vacina. Por hora a recomendação é trabalhar como se nenhuma alteração fosse feita: a partir de abril, 20 milhões de idosos seriam vacinados. "Mas tudo pode mudar", conta o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães.

Há três argumentos para manter o calendário: o êxito das campanhas anteriores, a disponibilidade da vacina, produzida pelo Butantã, e as 70 mil mortes anuais pela doença e suas complicações. Mas há quem suspeite da eficácia da estratégia em tempos de pandemia de gripe suína. Em 2009, dos casos de influenza, a maioria é provocada pelo H1N1. No modelo atual, a partir de abril seriam vacinados os idosos contra a gripe comum. Depois, teria início a vacinação contra a gripe suína.

Ontem, o governo anunciou uma medida provisória para a liberação de crédito suplementar de R$ 2,1 bilhões para enfrentar a pandemia. Do total, R$ 1,06 bilhão será usado para comprar vacinas. A quantia é suficiente para 73 milhões de doses - dos quais 33 milhões fabricados pelo Butantã. A ideia inicial é que a aquisição do produto pronto seja feita por meio do Fundo Rotatório de Vacinas da Organização Pan-Americana de Saúde. "Vamos esperar ao máximo para que esta alternativa seja concretizada", afirma Guimarães. Ele adianta que caso houver demora muito grande, o País poderá comprar diretamente dos produtores. Os recursos adicionais serão usados também para a compra de 11,2 milhões de tratamentos e para fornecer equipamentos de leitos de UTI.

Perfil das vítimas

Metade das pessoas que morreram com a gripe tinha alguma doença prévia, segundo o primeiro perfil completo das vítimas, divulgado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças e feito com dados de 28 países. O estudo mostra que 51% dos mortos tinham de 20 a 49 anos e que os grupos mais vulneráveis são diabéticos e obesos. Grávidas também necessitam de proteção.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também