Partículas causam danos cerebrais em peixes

Partículas causam danos cerebrais em peixes

Atualizado: Terça-feira, 20 Setembro de 2011 as 9:59

Pela primeira vez, cientistas conseguem provar que nanopartículas podem provocar danos à saúde animal. Pesquisadores da Universidade de Plymouth mostraram que as partículas microscópicas prejudicam o cérebro e outras áreas do sistema nervoso central de peixes. As nanopartículas são objetos minúsculos que já começaram a ser usados na indústria farmacêutica e de cosméticos, mas até então não haviam pesquisas confiáveis que mostravam efeitos negativos desses componentes.

Os pesquisadores avaliaram os efeitos de nanopartículas de óxido de titânio – material usado como branqueador em tintas, produtos de higiene pessoal e que é considerado para o uso na indústria de alimentos – na truta arco-íris. Viram que os nanocomponentes causaram buracos em partes do cérebro e a morte de células nervosas cerebrais. Alguns efeitos das nanopartículas já haviam sido mostrados em experimentos com células, mas foi a primeira vez em que eles foram confirmados em um animal vertebrado.

Os cientistas ainda não sabem dizer se os danos foram causados por uma ação direta das nanopartículas que entraram no cérebro ou se é um efeito secundário das reações químicas provocados por esses materiais. Para eles, os efeitos são semelhantes à contaminação por mercúrio. Ainda á a possibilidade de que as partículas se acumulem no corpo dos animais, como alguns tipos de agrotóxicos.

Os resultados dessa e de outras pesquisas sobre o tema podem fazer com que os órgãos reguladores revejam as políticas de aprovação de uso das nanomateriais para assegurar a proteção do ambiente e da saúde humana. O estudo será apresentado oficialmente na Reunião Internacional sobre os Efeitos Ambientais das Nanopartículas e Nanomateriais, que acontece em Londres entre os dias 21 e 23 de setembro.

veja também