Passe o verão bem hidratado

Passe o verão bem hidratado

Atualizado: Domingo, 3 Fevereiro de 2008 as 12

Você sabia que, em uma simples caminhada na praia, em um dia de sol, o corpo pode perder até 2 litros de líquidos em um hora? O verão é tempo de muito suor, mas ele não é o único responsável pela desidratação.

"Também há perda pelo pulmão, que pode ser de 500 ml a 800 ml por dia. Mas, não chega nem perto do que é eliminado pela pele, por meio da transpiração, por onde, dependendo das atividades, pode variar de 3,5 litros a 4 litros diários", explica o clínico geral Alessandro Loiola.

O preço do suor

A desidratação, muitas vezes, passa despercebida e grande parte dos problemas causados por ela acaba sendo atribuída a outras doenças. Quem passa o dia no sol pode achar que possíveis irritações são do momento, mas, na verdade, pode estar sofrendo pela perda de líquidos.

"A mais grave conseqüência, o extremo, seria a insolação, quando existe a possibilidade até de internação. O rim não funciona direito, a pessoa come menos, são sintomas parecidos com o do estresse. A desidratação em grau leve traz irritabilidade, dificuldade de concentração e de raciocínio", alerta Loiola.

Tudo o que é líquido vale?

Está certo, os líquidos precisam ser repostos. Um isopor de cerveja pode ser bastante válido nesse calor todo, correto? Não, na verdade, o efeito aí é contrário. "As bebidas alcoólicas vão piorar a desidratação, e não corrigir", afirma o especialista.

No geral, todas as frutas são indicadas, mas algumas, como o melão e a melancia, por exemplo, chegam a ser compostas por até 80% de água. Dos líquidos, água mineral e sucos ajudam bastante. "Em casos extremos, até um refrigerante diet vale para hidratar. A dica é andar sempre com uma garrafinha de água", orienta Loiola.

O mínimo para a saúde

A definição da quantidade de líquidos que é preciso tomar por dia depende de uma série de fatores, como o peso da pessoa e o tipo e intensidade de atividades que são praticadas. De acordo com o especialista, o cálculo básico para qualquer pessoa é de 40 ml por quilo, diariamente. No caso de uma pessoa de 60 kg, seriam cerca de 2,5l. Com atividades físicas, a necessidade pode dobrar.

"Cerca de 40% da água necessária o próprio corpo proporciona, seja pelo que retira dos alimentos, ou pelo que consegue por meio do metabolismo. Dos 2,5l que essa pessoa precisa, 1,5l o corpo produz", explica Loiola.

Quando o problema já existe

Qualquer problema de saúde que aparente se tornar grave deve ser tratado com ajuda profissional. No caso da desidratação, de acordo com o especialista, se em grau leve, com dor de cabeça e muscular, mas sem diarréia, convulsões ou sintomas mais graves, é possível tratar em casa. Com repouso longe do sol, alimentação rica em carboidratos (como macarrão) e o máximo de ingestão de líquidos a recuperação é rápida.

O soro caseiro também ajuda bastante, mas tem um porém, segundo o médico: "quando suamos, eliminamos, entre outros, potássio, que não é encontrado na água ou mesmo no soro feito em casa. A pessoa pode buscar essa substância em diferentes fontes, como frutas. Abacaxi e banana são excelentes. Outra opção são os isotônicos", alerta.

Se for preparar o soro em casa, o médico orienta: para cada três copos de água (daqueles de plástico, descartáveis), adicionar uma colher de sopa de açúcar e meia de sal. É possível contar, ainda, com outras opções. "Nas farmácias, existem envelopes com a solução pronta, de várias marcas e baixo custo", conclui Loiola.

Postado por: Claudia Moraes

veja também