Pesquisa do Ministério da Saúde revela que crianças de dois a dez anos comem muitos alimentos errados

Pesquisa do Ministério da Saúde revela que crianças de dois a dez anos comem muitos alimentos errados

Atualizado: Quarta-feira, 23 Setembro de 2009 as 12

Menos de 40% das crianças de dois a cinco anos no Brasil, consomem frutas, verduras e legumes na dieta alimentar. ''O que as crianças comem ou deixam de comer está diretamente relacionado aos hábitos alimentares dos pais'', afirmou o professor doutor em Pediatria e Saúde Pública do Departamento de Saúde Materno Infantil da Universidade Federal do Ceará (UFC), Almir de Castro Filho.

Ele não se admirou com o resultado da pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde (MS) sobre a situação nutricional infantil. Segundo o professor doutor, os maus hábitos alimentares começam dentro de casa.

O estudo revelou que o consumo de frutas e hortaliças no Brasil é apenas um terço do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que seria de 400 gramas por dia.

O MS avaliou 14 mil crianças entre dois e cinco anos, atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em 2008. Constatou que apenas 25,2% delas consomem frutas entre cinco e sete vezes por semana. Por outro lado, o consumo diário de bebidas adicionadas de mel, açúcar, rapadura corresponde a 47,9% nessa faixa etária.

A situação é ainda mais grave no caso de crianças entre cinco e dez anos, quando elas começam a decidir o que gostariam de comer. De um total de 15 mil crianças entrevistadas nessa faixa etária, 38,3% informaram consumir frutas diariamente, enquanto 26,6% afirmaram que balas, biscoitos recheados, chocolates e outros doces fazem parte das suas dietas entre cinco e sete vezes na semana.

O professor do Departamento de Saúde Materno Infantil da UFC explica que os alimentos inadequados são muito ricos em açúcar, sal, gorduras saturadas e pobre em fibras, vitaminas e oligoelementos, estes últimos são fundamentais à saúde das pessoas. ''Estamos melhorando os índices de desnutrição, mas há a fome oculta das nossas crianças que não recebem os nutrientes suficientes encontrados em uma boa dieta alimentar'', criticou.

Até os três e quatro anos de idade, ''a criança desenvolve hábitos que vão manter para o resto da vida'', esclarece. Para ele, a culpa pelos maus hábitos alimentares das crianças são dos pais. ''As crianças não tem dinheiro para comprar os alimentos ruins. Ele defende uma mudança de postura por parte dos pais, educadores para que seja criada entre as crianças um estilo de vida saudável.

A OMS estima que o consumo insuficiente de frutas e hortaliças contribui, anualmente, para 2,7 milhões de mortes, por 31% das doenças isquêmicas do coração, 11% das doenças cérebro-vasculares e 19% dos cânceres gastrointestinais ocorridos em todo o mundo.

veja também