Pesquisa revela 10 doenças mais comuns no mundo corporativo

Pesquisa revela 10 doenças mais comuns no mundo corporativo

Atualizado: Quarta-feira, 31 Outubro de 2012 as 10:37

 

Nesses últimos dias, 15 mil profissionais entre média gerência e alto escalão foram avaliados para saber quais são as doenças mais vistas no mundo corporativo. O estudo avaliou hábitos, o ambiente em que cada avaliado se mantém na maior parte do tempo.

A Omint, operadora de convênio de seguros de vida fez a pesquisa com os executivos mostrando o porquê de cada doença ocorrer em cada meio e mostra o aumento do risco de problemas cardíacos e outras enfermidades mais graves.

Poluição, má manutenção nos equipamentos de ar condicionado desencadeiam a primeira doença do ranking, a rinite alérgica. A doença atinge quase 29% dos executivos analisados. O segundo lugar fica com a alergia de pele, comum por pele seca e proliferação rápida por causa do ambiente de trabalho, atingindo cerca de 22% do total, seguindo de dor no pescoço e dor nos ombros, com mais de 19%.

Estresse, ansiedade e excesso de peso também causam preocupação. Manter uma alimentação equilibrada parece tarefa difícil para os executivos, já que as pesquisas mostram que 95% dos executivos brasileiros não mantêm uma alimentação saudável.

Existem os que não praticam esportes e entram para a margem de 44% de sedentários e 32% tem índice elevadíssimo de estresse. “Esses indicadores tem permanecido estáticos nos últimos três anos, embora boa parte deles revelem intenção de mudança de hábitos alimentares e inclusão de atividades físicas na rotina”, revela Caio Soares, diretor médico da Omint e coordenador do estudo.

Já o excesso de peso se manteve estável. De acordo com a pesquisa, 38,6% dos executivos estão com Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 25. Dentro desse universo, 18,99% são homens e 11,53% mulheres. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) pode ser considerada obesa uma pessoa que tem IMC acima de 30.

Entre os fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares a pesquisa avaliou uma queda de 8,15%. Já os indicadores de diabetes e colesterol alto seguem estáveis. Atingem 2,3% e 2,04% da população avaliada, respectivamente.

Confira o ranking completo:

1. Rinite – 28,97%

2. Alergia de pelo – 22,41%

3. Dor no pescoço e/ou ombros – 19,36%

4. Excesso de peso – 18,42%

5. Ansiedade – 18,19%

6. Dor de cabeça frequente – 16,50%

7. Asma ou bronquite – 13,47%

8. Colesterol alto – 11,53%

9. Insônia – 10,83%

10. Dor crônica nas costas – 8,52%

 

Com informaçõs de Terra

veja também