Pessoas com psoríase têm mais chances de ter ataques cardíacos

Pessoas com psoríase têm mais chances de ter ataques cardíacos

Atualizado: Sexta-feira, 30 Abril de 2010 as 10:14

Uma pesquisa do Hospital Universitário de Copenhagen, na Dinamarca, sugere que as pessoas com psoríase, doença inflamatória da pele, são mais propensas a ter problemas cardíacos, como infarto. O estudo foi apresentado recentemente na reunião anual do American College of Cardiology, em Atlanta, nos Estados Unidos.  

Os pesquisadores acompanharam, no período de 1997 a 2006, as taxas de doenças de pele, problemas cardíacos, derrame e morte da população adulta do país e descobriram que pessoas com o tipo grave de psoríase tiveram 54% a mais de probabilidade de sofrer um acidente vascular cerebral, 21% a mais de ter um ataque cardíaco e 53% mais probabilidades de morrer durante um período de 10 anos, em relação às pessoas que não tem a doença pele. Além disso, os indivíduos com psoríase também eram mais propensos a precisar de procedimentos, como a angioplastia, para abrir as artérias obstruídas do coração.

A análise levou em conta também outros fatores de risco para doenças cardíacas, incluindo idade, sexo, medicação e outras condições de saúde, apesar de eles não terem influenciado o resultado significativamente. Outro estudo, apresentado na semana passada na reunião anual da Academia Americana de Dermatologia, em Miami Beach, Flórida, mostrou que a psoríase está associada também a um risco aumentado de câncer, incluindo câncer de pele, câncer de próstata e linfoma.

Um levantamento feito por pesquisadores do Abbott Laboratories, nos EUA, identificaram - por meio de um banco de dados com informações de cerca de 93 milhões de americanos ? mais de 37 mil pessoas com psoríase e compararam as suas taxas de câncer com 100 mil pessoas sem a doença.

As idades eram semelhantes. Por meio dessa comparação foi possível perceber que indivíduos com psoríase correm mais risco de ter colesterol alto, pressão alta, doenças cardíacas e obesidade. Durante um período médio de cerca de dois anos, 34,8% das pessoas com psoríase foram diagnosticados com câncer.

Especialistas aconselham pacientes com psoríase, além de cuidar dos sintomas, a fazer um rastreamento de fatores de risco de doenças cardíacas e promover mudanças no estilo de vida para minimizar os riscos de futuros problemas cardiovasculares.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também