PMs da cavalaria do Espírito Santo desenvolvem método terapêutico para deficientes

PMs da cavalaria do Espírito Santo desenvolvem método terapêutico para deficientes

Atualizado: Quarta-feira, 7 Maio de 2008 as 12

Há 10 anos policiais do Regimento de Polícia Montada (RPMont), ou Cavalaria da Polícia Militar, desenvolvem a eqüoterapia, que é um método terapêutico destinado a pessoas portadores de deficiência ou de necessidades especiais. Além da atuação em eventos com intensa aglomeração de pessoas, os PMs do Cavalaria dão a sua contribuição social. As ações são acompanhadas por médicos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos.

Atualmente, o Regimento mantêm cerca de 35 praticantes nas aulas que acontecem de segunda a sexta-feira em sua sede, no município de Serra, Espírito Santo. Com essa prática, a Polícia Militar busca aproveitar uma de suas ferramentas de combate à criminalidade - o cavalo - para ajudar na melhoria do quadro clínico de crianças, jovens e adultos com algum comprometimento físico e psicológico.

O Projeto Eqüoterapia já atendeu a mais de 200 pessoas desde que foi implantado e foi destaque no Prêmio Inoves 2007, na categoria Inovação no setor público. Para o comandante do RPMont, tenente-coronel Carlos Henrique, a homenagem demonstra o reconhecimento do trabalho que a Polícia Militar desenvolve não só no que diz respeito à segurança pública, mas também na área social. "Esse prêmio mostra que a PM pode fazer muito mais sem nenhum desgaste para o policial", afirmou.

A Eqüoterapia

É um método terapêutico que utiliza o cavalo, as técnicas de equitação e as práticas eqüestres dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de equitação, saúde, educação, com o objetivo de buscar a reabilitação e/ou o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência.

O objetivo principal da prática é proporcionar o desenvolvimento das potencialidades de cada praticante, respeitadas suas limitações, visando a auto aceitação, integração social, além de possibilitar-lhe o exercício da cidadania. Nela, o cavalo é o elemento que incentiva o praticante, oferecendo-lhe ganhos físicos e psicológicos.

O tratamento colabora na educação e formação do caráter dos seres humanos, por meio da prática didático-pedagógica da equitação. Desenvolve ainda novas formas de comunicação, socialização, confiança em si mesmo e auto-estima. Proporciona ainda mudanças tanto no campo neuromotor quanto no psicológico, marcando, em alguns dos participantes, o início da expressão verbal.

Os estímulos transmitidos pelo cavalo ao praticante permitem a melhoria do tônus muscular, permitindo-lhe o controle postural. Além disso, favorece a coordenação dos movimentos que é dada graças à condução do animal por meio de movimentos associados e coordenados de mãos, braços, cinturas pélvica e escapular e olhos.

Postado por: Claudia Moraes

veja também