Por que alongar?

Por que alongar?

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 10:43

O treino de flexibilidade é algo de suma importância tanto para saúde quanto para o alto rendimento desportivo. Esta é uma capacidade física essencial a qualquer atleta ou pessoa que deseja ter um mínimo de condicionamento físico.

O alongamento reduz tensões musculares, ansiedade, estresse e fadiga, aumenta a elasticidade muscular, relaxa, ativa a circulação, melhora a postura e performance na maioria das modalidades desportivas. Por outro lado atletas que não mantém sua flexibilidade podem apresentar perda em rendimento.

Contudo, estudos recentes demonstraram não haver relação entre alongamento e prevenção de lesões, ou seja, mesmo fazendo alongamento, o esportista não está livre das lesões e nem mesmo está diminuindo o risco de sua ocorrência.

O Centro de Controle de Doenças e Prevenções (C.D.C- Center for Desease Control and Prevention), em Atlanta (USA), realizou uma metanálise para verificar o impacto do alongamento no risco de lesões esportivas.

A pesquisa analisou cerca de 350 artigos que tratavam de alongamento e lesões, e concluiu que não havia evidências suficientes que apoiassem ou suspendessem o treino de alongamento pré e pós-exercício com intuito de prevenir lesões entre os atletas. Ou seja, parece que nenhum benefício ou malefício pode ser extraído dos alongamentos feitos próximo à atividade física em relação às lesões específicas.

Outro estudo realizado na Noruega contou com 1837 atletas púberes de ambos os sexos, onde foram analisadas tanto a influência do aquecimento quanto do alongamento na prevenção de lesões. Por incrível que pareça apesar de se concluir que o aquecimento diminuía o índice de lesões nos joelhos e tornozelos, o mesmo não se verificou com a aplicação de alongamento prévio.

Alguns autores afirmam que o alongamento pode, inclusive, ser maléfico quando praticado após um exercício extremamente fatídico, ou forte. Visto que o músculo se apresenta com um alto grau de microlesões. Muitos estiramentos, rupturas e distensões, são gerados por uma tentativa de flexionamento exagerado num músculo fadigado, após o exercício, com intuito de se "retirar a fadiga".

Mesmo que alongar não proteja das lesões, a maioria dos especialistas ainda aposta nos outros benefícios. A indicação mais correta seria que exercícios de alongamento fossem executados num período distante das sessões de treino mais fortes e após um breve aquecimento. Entretanto, caso de falta de tempo, o alongamento poderia ser realizado anteriormente a sessão de treino.

Após a atividade, alguns autores ainda indicam o alongamento com objetivo de evitar compensações e sobrecargas músculo-esquelética tardias, porém deve ser feito de maneira leve e progressiva. Em outras palavras, podemos alongar desde que seja com uma intensidade muito aquém daquela necessária para ganharmos flexibilidade.

Em fim, treinar flexibilidade é algo fundamental e seus benefícios estão fora de questionamento. Porém, o que vem gerando polêmica, é o fato do alongamento não prevenir lesões e, até mesmo, poder causá-las se praticado de forma inapropriada.

A experiência nos mostra que, se realizado de maneira moderada e em momentos específicos, seus benefícios são praticamente garantidos. Contudo, não podemos crer que simplesmente fazendo alongamentos a toda hora estaremos livres de lesões.

veja também