Pré-adolescência: a melhor época para corrigir problemas bucais

Pré-adolescência: a melhor época para corrigir problemas bucais

Atualizado: Terça-feira, 8 Julho de 2008 as 12

Se o rosto do seu filho está desarmônico, certamente ele não está feliz com isso, especialmente se ele tem de conviver com gozações e apelidos.

E essa desarmonia facial ocorre devido a um crescimento dos ossos de maneira errada, seja por falta de crescimento ou por excesso do mesmo. Em linguagem odontológica, são classificados de Classe II e Classe III, respectivamente.

O paciente Classe II é aquele que apresenta um desequilíbrio horizontal entre a maxila e a mandíbula, dando a impressão que o mesmo não possui queixo, como era o caso do famoso compositor Noel Rosa. Já o Classe III é exatamente o contrário: é aquele que apresenta uma mandíbula grande dando a impressão de queixudo.

"Mas, qualquer que seja a alteração dos dentes e dos ossos da face, estes podem ser reposicionados para criar uma aparência mais equilibrada, satisfatória e harmônica", explica o Prof. e Dr. Cícero Ermínio Lascala, cirurgião especializado em ortodontia, periodontia e ortopedia facial ou ortopedia funcional dos maxilares, com doutorado em diagnóstico bucal pela USP - Universidade de São Paulo.

A ortopedia facial é indicada na fase de crescimento

Os dispositivos ortopédicos faciais foram desenvolvidos para atuar em pessoas em fase de crescimento. Em rapazes, na faixa dos 14 a 16 anos. Já em meninas, dos 12 aos 14 anos (ou até um ano ou um ano e meio após a primeira menstruação).

Bebês devem consultar o dentista já aos 3 meses de idade

Para uma perfeita saúde bucal do seu bebê, de modo a que ele se torne um adolescente livre de problemas bucais é importante levá-lo a uma consulta com um ortodontista ou um odontopediatra a partir dos 3 meses de idade e começar a higiene bucal pelo menos 3 vezes ao dia.

veja também