Prefeitura de SP promove ações de conscientização pelo dia internacional de combate ao AVC

Prefeitura de SP promove ações de conscientização pelo dia internacional de combate ao AVC

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2009 as 12

Considerada a primeira causa de morte no Brasil e a terceira no mundo, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) faz uma vítima a cada 15 segundos. Além disso, a doença também é a primeira no número de incapacidades na idade adulta, fazendo com que 70% dos pacientes fiquem impossibilitados de retornar ao trabalho.

Diante deste cenário, hoje, dia 29 de outubro, quando se celebra o "Dia Internacional de Combate ao AVC?, o Hospital Israelita Albert Einstein e a Prefeitura do Município de São Paulo se reúnem para discutir o comportamento da doença na cidade, aumento de incidência, adesão do paciente aos tratamentos para controle da hipertensão e diabetes (fatores de risco para AVC) e, principalmente, discutir o modelo de protocolo já utilizado em alguns dos hospitais municipais. "A criação e implantação de um protocolo claro e eficiente, que contemple principalmente o treinamento da equipe de pronto-socorro, com foco no rápido atendimento ao paciente com AVC, além do acompanhamento deste paciente pós-acidente vascular cerebral, pode trazer resultados excelentes e em curto prazo para o controle da doença em São Paulo?, avalia Dr. Alexandre Pieri,  Gerente do Programa de Neurologia do Hospital Israelita Albert Einstein.

Além deste encontro, esta parceria também contempla ação de conscientização junto à população, visto que combater os fatores de risco e reconhecer os sinais da doença dependem muito do paciente. Em sete hospitais municipais haverá a distribuição, ao longo de todo o dia, de folhetos explicativos sobre como o AVC atinge o cérebro, suas conseqüências, sintomas, seqüelas e, principalmente, dicas de como prevenir o problema. Esta ação acontecerá de forma simultânea nas instituições: Hospital Municipal Cidade Tiradentes, Hospital Municipal Fernando Mauro Pires Rocha (Campo Limpo), Hospital Municipal Cármino Caricchio (Tatuapé), Hospital Municipal Alípio Correio Neto (Ermelino Matarazzo), Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM), Hospital Municipal Arthur Ribeiro de Saboya (Jabaquara) e Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch - M´Boi Mirim.

O Tratamento do AVC no Hospital M´Boi Mirim

De acordo com dados de 2008 da Subprefeitura de M´Boi Mirim, a região conta com 585.733 habitantes, incluindo os bairros de Jd. Ângela e Jd. São Luiz. Desde maio de 2008, foram atendidos no Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch - M´Boi Mirim 212 pacientes, o que dá uma proporção de 36 casos de AVC por 100 mil habitantes, lembrando que estes pacientes ainda podem ter sido atendidos em outros hospitais.

A média de idade dos pacientes é de 64,5 anos para AVC isquêmico e 61,4 para AVC hemorrágico. Em média, os pacientes com AVC isquêmico demoram 12 horas e 27 minutos para procurar um pronto-socorro, e os pacientes com AVC hemorrágico 6 horas e 11 minutos. A mortalidade geral é 17% dos casos, sendo 25% para o hemorrágico e 15% para o isquêmico. Dados mundiais apontam que a mortalidade geral é 27%. "A melhora na taxa de mortalidade já é um indicador importante do resultado da implantação do protocolo para atendimento e tratamento do AVC, implantado pelo Hospital Israelita Albert Einstein no M´Boi Mirim?, explica Dr. Pieri.

Implantado em setembro de 2008, o protocolo inclui treinamento dos profissionais para atendimento de emergência, manejo em UTI e assistência em fase subaguda, através do Centro de Simulação Realística Albert Einstein. Além disso, há uma enfermeira gerenciadora dos casos de AVC, que acompanha todos os pacientes desde a admissão até a alta. Além disso, esta profissional também realiza um acompanhamento destes pacientes em casa, via telefone, para levantar seqüelas do AVC e adesão ao tratamento.

veja também