Prevenção de derrames relacionados a arritmia cardíaca

Prevenção de derrames relacionados a arritmia cardíaca

Atualizado: Terça-feira, 13 Setembro de 2011 as 1:35

As perspectivas na prevenção do AVC (acidente vascular cerebral) em pacientes com fibrilação atrial, o tipo de arritmia cardíaca mais comum na população mundial, é tema de destaque do 66º Congresso Brasileiro de Cardiologia, que acontece nos dias 17 e 19 de setembro em Porto Alegre (RS).

No mundo, três milhões de pessoas têm derrame anualmente em consequência da fibrilação atrial. Esse tipo de arritmia acomete 1,5 milhão de brasileiros e faz com que o coração bata em um ritmo irregular, fora do padrão habitual, além de aumentar em cinco vezes o risco de AVC.

“A fibrilação atrial provoca a formação de coágulos no coração. Se a pessoa não faz uma prevenção adequada, os coágulos se deslocam até o cérebro desencadeando um AVC que pode ter sérias sequelas. O tipo de AVC mais incapacitante é, sem dúvida, o derivado da fibrilação atrial e em torno de 80% destes são de origem isquêmica”, alerta o médico Francisco Darrieux, arritmólogo e professor do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

  Novo medicamento

Uma novidade será amplamente discutida no Congresso Brasileiro de Cardiologia. Pradaxa®(dabigatrana) mudará o cenário da  prevenção do AVC. Trata-se do primeiro medicamento de uma nova geração de anticoagulantes orais que acaba de chegar ao mercado brasileiro.

Os estudos clínicos mostraram que Pradaxa® (dabigatrana) previne três de cada quatro derrames decorrentes da fibrilação atrial. Dabigatrana tem eficácia superior na prevenção do AVC quando comparada ao medicamento mais antigo, lançado há mais de 50 anos, e considerado como terapia padrão até o momento.

Pradaxa® (dabigatrana) chega para suprir as sérias limitações da terapia anterior, que impõe diversas restrições alimentares aos pacientes, além de ter interações com vários medicamentos.  Outro desafio é a necessidade de ajuste constante da dose do medicamento, baseada em resultados de exames de sangue frequentes, no mínimo, mensais.

Por ter dose fixa, o novo anticoagulante dispensa ajustes de dose, sendo um tratamento de mais fácil administração pelo médico e paciente. Além disso, Pradaxa possui baixo potencial de interação com outros medicamentos e não interage com alimentos.

Atualmente, muitos pacientes com fibrilação atrial e risco de AVC que não estão recebendo medicação anticoagulante adequada poderão se beneficiar do novo medicamento, reduzindo a ocorrência de derrames.

Agenda - Congresso Brasileiro de Cardiologia

Data: 17 e 19 de setembro

Local: Centro de Eventos FIERGS – Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul

Endereço: Avenida Assis Brasil, 8787 - Bairro Sarandi

CEP: 91140-001 – Porto Alegre – RS

Simpósio “Uma Nova Era na prevenção do AVC”

Data: 18 de Setembro

Horário: 12h40 às 14h40

Local: Auditório 23

veja também