Prevenção de LER/DORT

Prevenção de LER/DORT

Atualizado: Quarta-feira, 23 Abril de 2008 as 12

Na próxima segunda-feira, 28 de abril, é um importante dia de reflexão para todos. Todo ano, milhares de pessoas são afastadas do ambiente de trabalho por motivos que vão desde a aquisição de doenças profissionais até sérios acidentes de trabalho, que podem levar à morte ou à invalidez.

A Organização Internacional da Saúde (OIT) fala em 1,3 milhões de acidentes de trabalho por descumprimento de normas básicas de proteção aos trabalhadores. Estatísticas de 2002 apontam que, no Brasil, houve 387 mil casos de acidentes, 20 mil casos de doenças relacionadas ao trabalho e o alarmante número de 2.800 mortes. O não cumprimento das leis básicas de segurança e o excesso de carga horária são alguns dos motivos que fazem com que esses números sejam tão altos.

Segundo Osny Orselli, especialista na prevenção de doenças profissionais e Engenheiro de Segurança no Trabalho, medidas simples poderiam evitar acidentes e reverter estes números. "Em casos de doenças profissionais, como a LER (Lesões por Esforços Repetitivos), o uso de móveis adequados aliados à execução de ginásticas laborais já reduziriam os altos índices da doença", afirma.

Osny desenvolveu ainda uma técnica chamada "Ginástica do Gato". Movimentos iguais aos do felino caracterizam essa "ginástica". Segundo ele, "espreguiçar, bocejar, movimentar em círculo a cabeça, os punhos e as pernas são exercícios simples que amenizam as dores". Outra dica importante refere-se à hidratação, a cada 1h, Osny sugere a ingestão de muita água.

Além disso, de acordo com o engenheiro, a "Ginástica do Gato" não irá atrapalhar as atividades no trabalho e ainda irá ajudar a reduzir os altos índices de LER. "Você vai aumentar sua produtividade e irá melhorar a sua qualidade de vida" - finaliza Osny.

Sobre a LER

Segundo dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a LER é responsável pela segunda causa de afastamento dos trabalhadores de seus postos de trabalho. A sigla abriga doenças como a bursite, a tendinite, dentre muitas outras. Em sua maioria, jovens e mulheres apresentam os maiores índices de LER. Bancários, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing e secretárias encabeçam as estatísticas.

De acordo com o Instituto Nacional de Prevenção às LER/Dort ( Disturbio osteomuscular relacionado ao trabalho) , a única saída para evitar essa síndrome é investir na educação e na conscientização tanto dos funcionários, como dos empresários. Os sintomas são muitos, o que importa é estar atento às dores. Diminuição da força muscular e formigamento podem ser alguns dos sintomas dos esforços repetitivos.

Postado por: Claudia Moraes

veja também