Previna-se do câncer de pele

Previna-se do câncer de pele

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 8:45

O câncer de pele atinge números cada vez mais alarmantes no Brasil. O Instituto Nacional do Câncer estima para 2010 uma elevação do índice de casos para 53.410 homens e 60.440 mulheres. Os valores representam o risco de 60 novos casos a cada 100 mil habitantes. Este é o tipo de câncer mais frequente e corresponde a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil.

Segundo Márcia Ramos e Silva, chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o melhor tratamento para qualquer tipo de câncer é o diagnóstico precoce. "A única forma de detecção nas fases iniciais é por meio de exames anuais e, nas pessoas de alto risco, até de 6 em 6 meses", indica.

A médica explica que o exame é feito em ambiente claro, de preferência com luz natural, inicialmente a olho nu, e complementado com o uso de uma lupa e um dermatoscópio, aparelho específico para exame de lesões cutâneas, em especial, as suspeitas de neoplasia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) observa um expressivo crescimento na incidência desse tipo de tumor em populações de pele branca. É importante ressaltar que, na melhor das hipóteses, a demora no diagnóstico pode significar o aparecimento de ulcerações e deformidades físicas graves. Entretanto, se detectado precocemente, até mesmo o melanoma de pele, forma mais letal da doença, tem altas chances de cura completa se tratado de forma adequada.

Prevenção

A proteção contra a luz solar é a melhor forma de prevenir o câncer de pele. Na mesma medida, o autoexame contribui para o diagnóstico precoce. Por isso é tão importante procurar um dermatologista a qualquer sinal do surgimento de manchas ou mudança de formato em pintas e marcas de aparência suspeita.

"Para manter uma pele saudável, o mais importante é mantê-la protegida do sol adequadamente, limpa por meio de sabonetes adaptados, hidratada e ter uma alimentação balanceada. O câncer de pele pode surgir em qualquer época do ano e há alguns tipos que não têm relação com exposição solar. Os tipos principais e mais frequentes são o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e, o mais perigoso deles, o melanoma", aponta.

Apesar de existirem alguns fatores de risco para o desenvolvimento da doença, como pré-disposição genética e exposição excessiva ao sol e ao calor, a dermatologista afirma que, felizmente, nem todos os sinais evoluem necessariamente para um tumor e que há alguns tipos, inclusive, que nunca se transformam. Contudo, ela reafirma a necessidade da realização de exame dermatológico com um profissional treinado.

Por: Margareth Varela

veja também