Primeiro inibidor da integrase para o tratamento de HIV já está disponível no Brasil

Primeiro inibidor da integrase para o tratamento de HIV já está disponível no Brasil

Atualizado: Segunda-feira, 14 Julho de 2008 as 12

Nova esperança de vida para o tratamento do HIV/AIDS, o medicamento RALTEGRAVIR é indicado para pacientes com opções limitadas de terapias anti-retrovirais

Os pacientes brasileiros com HIV/AIDS já contam com uma nova esperança para o tratamento da doença. Licenciado em janeiro deste ano pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em status de revisão prioritária, o anti-retroviral RALTEGRAVIR, do laboratório Merck Sharp & Dohme, já está disponível para uso no Brasil.

O medicamento inaugura uma nova classe de agentes anti-retrovirais denominada inibidores de integrase, que impedem a inserção do DNA viral do HIV no DNA humano. Trata-se de um novo mecanismo de ação, que inibe a capacidade do vírus HIV de se replicar e infectar novas células. Existem medicamentos em uso que inibem outras duas enzimas - protease e transcriptase reversa - mas RALTEGRAVIR é o primeiro medicamento aprovado que inibe a integrase.

Esperança de vida com qualidade

Os pacientes portadores do vírus HIV utilizam um tratamento chamado de OBT (Optimized Background Therapy ou Terapia Otimizada de Base), uma combinação de algumas drogas, que é conhecido no Brasil como coquetel anti-AIDS. Muitos pacientes multi-experimentados, que utilizam a OBT há vários anos, acabam criando resistência a algum ou a vários dos medicamentos que compõem o coquetel, o que prejudica o tratamento. Por este motivo, novas drogas, como o RALTEGRAVIR, são essenciais para que os pacientes consigam continuar combatendo a doença. Os estudos realizados com o novo anti-retroviral mostraram, ainda, que o medicamento causa menos efeitos colaterais, tais como náuseas, vômitos, dor abdominal e diarréia, além de proporcionar maior redução da carga viral.

"Os resultados de eficácia e o perfil de tolerabilidade observados até o momento com RALTEGRAVIR, em combinação com o coquetel anti-AIDS, são animadores. Os estudos com o medicamento confirmaram, ainda, a atividade anti-viral do inibidor de integrase do HIV, que inaugura uma nova classe promissora de agentes anti-retrovirais", afirma José Valdez Ramalho Madruga, infectologista do Centro de Referência e Treinamento (CRT) DST/AIDS, Responsável pela pesquisa de novos medicamentos do CRT , Médico formado pela Universidade Federal da Paraíba e Mestre em Infectologia pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP).

Postado por: Claudia Moraes

veja também