Primeiro shampoo para tratar psoríase chega ao Brasil

Primeiro shampoo para tratar psoríase chega ao Brasil

Atualizado: Quinta-feira, 17 Julho de 2008 as 12

O tratamento da psoríase no couro cabeludo foi revolucionado no Brasil com a chegada de Clob-X® (propionato de clobetasol) Shampoo, da Galderma. Único corticóide disponível nesta apresentação, ideal para aplicação no couro cabeludo, o medicamento é considerado um dos mais eficazes na administração tópica para o tratamento de psoríase leve a grave em pacientes maiores de 18 anos.

Além da efetividade, o principal diferencial de Clob-X® (propionato de clobetasol) Shampoo está na sua formulação, que possui a facilidade do enxágüe após 15 minutos de aplicação do produto - os tratamentos de uso tópico disponíveis no mercado atualmente têm apresentação em gel, creme ou loção, causando desconforto ao serem aplicados sobre os fios de cabelo.

Dessa forma, o tratamento torna-se mais prático, seguro e conveniente, condições ideais para que seja seguido conforme recomendação médica e assegure a qualidade de vida do paciente. O bem-estar proporcionado pelo resultado colabora para o controle da doença, já que fatores psicológicos podem agravá-la.

Um estudo realizado recentemente com quase 160 pacientes na Inglaterra, mostra que 93% deles adaptaram-se melhor a Clob-X® (propionato de clobetasol) Shampoo do que a outro medicamento, e 81% usariam o produto novamente.

Clob-X® (propionato de clobetasol) Shampoo complementa a linha da Galderma para tratamento da psoríase, formada por Clob-X(propionato de clobetasol) nas apresentações creme, pomada e gel, indicados para o tratamento da psoríase em outras regiões do corpo.

Sobre a psoríase

A psoríase é uma doença crônica, inflamatória da pele, não contagiosa, que afeta 190 milhões de pessoas em todo o mundo e não tem sua causa totalmente esclarecida. Manifesta-se em homens e mulheres de todas as idades e sabe-se que os principais fatores desencadeadores da doença são a predisposição genética e também fatores ambientais e emocionais.

As lesões características da psoríase - vermelhidão, ressecamento e descamação - são mais freqüentes no couro cabeludo, joelhos e cotovelos, mas podem aparecer em qualquer parte do corpo, incluindo unhas e juntas.

A psoríase no couro cabeludo é mais difícil de tratar porque a presença de cabelo dificulta a aplicação dos medicamentos.

Por ser uma doença recidivante, a qualidade de vida de quem sofre com psoríase é bastante prejudicada. Uma pesquisa recente revela que quase 80% dizem sofrer impacto negativo por causa do problema, e 40% se frustram com a ineficácia do tratamento. O abuso do álcool e o suicídio também são apontados na pesquisa. Cerca de 10% de 2000 pacientes de 18-34 anos pensaram em se suicidar por causa da psoríase.

Além da vida social, a carreira também costuma ser deixada de lado. Os números revelam que 34% dos pacientes deixam o trabalho por causa da psoríase e o restante chega a faltar 26 dias ao ano por causa do problema.

*Imagem ilustrativa.

Postado por: Claudia Moraes

veja também