Protetor solar é uma amigo para nossa saúde. Tire suas dúvidas e proteja-se

Tudo o que você precisa saber sobre o protetor solar

Atualizado: Sexta-feira, 1 Fevereiro de 2013 as 3:47

Verão. Tempo de nos proteger contra as doenças de pele e aumentar o uso do protetor solar. Ter o hábito de passar uma quantidade diariamente, faz com que a pele fique protegida durante a exposição do sol. São muitos os que não sabem qual a forma adequada de usá-lo.

Em entrevista ao IG, os dermatologistas, Dr. Emir Martins Junior e Dra. Solange Pistori Teixeira, explicam fatores importantes sobre o uso do protetor solar e a forma adequada de passar o filtro solar.

Qual a quantidade de protetor solar devemos usar?
Recente estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) mostra que a aplicação de quantidades insuficientes do produto reduz o fator de proteção solar (FPS). O correto é aplicar 2 miligramas (uma colher de chá) de filtro solar por centímetro quadrado de corpo. Calcula-se que, para uma pessoa de porte médio, são necessárias nove porções de filtro distribuídas pelo corpo. Aplique uma porção em cada uma das seguintes regiões: face e pescoço, barriga e peito, braço e ombro direto, braço e ombro esquerdo e costas. Duas porções para perna e pé esquerdo, e a mesma quantidade para perna e pé direito.

É necessário reaplicar o protetor solar?
Sim. A maioria dos filtros perde o efeito após quatro horas e, portanto, deve ser reaplicado no decorrer do dia. Em caso de exposição mais intensa ao sol, o ideal é reaplicar o produto a cada duas ou três horas. Dica: aplique o protetor 30 minutos antes de ir para a praia e espere secar para vestir o biquíni.

Há diferença entre protetores resistentes à água e à prova d'água?
Os produtos “resistentes à água”, são capaezes de resistir a 40 minutos de imersão em água, enquanto os à prova d’água resistem a 80 minutos de imersão em água. Isso significa que o FPS do produto se mantém inalterado por esses períodos de imersão em água ou atividade física moderada.

Diferença entre raios UVB e UVA?
Os raios UVB penetram superficialmente e causam as queimaduras solares, trata-se da radiação visível. Sua incidência aumenta muito durante o verão, especialmente nos horários entre 10h e 16h. Ele é responsável pelas alterações celulares que predispõem ao câncer da pele. Já os raios UVA não são abrandados pela atmosfera e estão presentes em todos os momentos do dia, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno ou o verão. Penetra profundamente na pele, sendo a principal responsável pelo envelhecimento precoce e também predispõe a pele ao surgimento do câncer.

Como saber se um protetor solar é bom?
Preste atenção na embalgem, pois os bons protetores levam o selo da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Prefira um produto resistente à água e confira se ele protege também contra os raios UVA. O fator de proteção UVA deve ser um terço da proteção UVB (aquele que vem gravado na embalagem), por exemplo: um protetor solar 30 deve ter fator de proteção 10, pelo menos. Por isso, leia o rótulo com atenção.

Porque existem protetores específicos para o rosto?
É importante usar um produto com FPS maior no rosto já que a pele dessa região é mais fina e sensível. Outra preocupação é com a cosmética: o rosto exige produtos menos oleosos, mais leves, enquanto o corpo pede loções que espalhem com facilidade.

Protetores em spray, são eficazes?
Sim. Desde que seja de boa qualidade, o spray funciona muito bem e é indicado para áreas com pelos, onde pode ser difícil espalhar a loção.

Os FPS altíssimos (50, 80 ou 100) são indicados para qual tipo de pele?
O FPS alto (maior do que 50) é indicado para pessoas com dermatoses desencadeadas pelo sol e para pessoas que se submeteram a algum procedimento mais agressivo, como peeling, laser ou uso de ácidos na pele. Crianças também precisam de um alto nível de proteção, para isso, utilize protetor solar a partir de FPS 40 e complemente com outros recursos, como bonés e camisetas.


Com informações de: IG

veja também