Quando engravidar após aborto espontâneo?

Quando engravidar após aborto espontâneo?

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 9:37

Abortamento espontâneo ocorre em cerca de 15% das gestações e muitas mulheres não sabem quando podem tentar engravidar novamente. Um estudo americano tem a resposta

Uma em cada 6 gestações resulta em abortamento espontâneo, a perda do bebe nos primeiros meses da gravidez. Muitas mulheres sofrem com isso e, ao mesmo tempo, que desejam tentar engravidar novamente, tem dúvidas sobre quanto isso deve ocorrer. E elas não estão sozinhas, pois os médicos também não têm certeza dessa resposta e, frequentemente, ficam angustiados com este tipo de recomendação.

Mas vem aí uma boa notícia para ambos. Uma pesquisa realizada na Escócia procurou determinar o melhor intervalo entre o primeiro abortamento e a nova gravidez, utilizando dados retrospectivos de mais de 30 mil mulheres que tiveram um aborto espontâneo, por ocasião da primeira gestação e que, posteriormente, ficaram grávidas. E o principal resultado do estudo é que um intervalo menor do que 6 meses é o mais adequado. Isso mesmo, mulheres que engravidaram novamente em até 6 meses tiveram menos risco de novo abortamento e gravidez ectópica. Mais ainda, mulheres que engravidaram após intervalo entre seis e doze meses tiveram mais risco de terem bebe prematuro e de baixo peso ou de virem a ter uma cesariana. Os resultados vão na contramão de algumas evidências prévias e até mesmo de orientações da WHO que até então sugeria nestes casos um prazo mínimo de 6 meses para nova tentativa de gestação.

Vale destacar, no entanto, que estes resultados se aplicam apenas às mulheres que abortaram previamente. Em se tratando de mulheres que tiveram seus bebes, ou seja, tiveram um parto normal ou uma cesariana, a história é totalmente diferente. E como problema do abortamento é freqüente e as mulheres estão deixando as gestações para mais tarde essa questão é importantíssima. Basta imaginar a situação da mulher que engravida por volta dos 33 anos e é surpreendidacom um abortamento espontâneo. Uma recomendação para que ela espere 2 anos ou mais para nova tentativa pode soar como ameaça ao desejo de vir a ser mãe. Propor espera menor do que 6 meses, pelo contrário, pode causar um enorme alívio. E alívio é fundamental nesta hora. Alívio para as mulheres, mas também para os obstetras.

veja também