Quando procurar um foniatra

Quando procurar um foniatra

Atualizado: Terça-feira, 16 Agosto de 2011 as 10:47

Ninguém resiste aos balbúcios de uma criança de colo e o seu dedinho apontado  para o objeto de desejo. Mais engraçadinho ainda é uma criancinha pronunciar as palavras de modo incorreto.

Mas difícil mesmo é convencer o adulto a não incentivar esse comportamento que pode retardar o desenvolvimento social e o da fala de uma criança.

Por isso, os pais e pediatras devem estar atentos para qualquer distúrbio que possa ocorrer nessa fase de aprendizado.

Para discutir esse assunto e outros que envolvem os distúrbios de linguagem, a otorrinolaringologista e foniatra Dra. Sandra Irene Cubas de Almeida, de São Paulo, ministrará palestra no 41º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial de 6 a 10 de setembro de 2011, em Curitiba.

A especialista abordará ainda a “Evolução da Foniatria no Brasil”, uma especialidade médica, reconhecida pela Associação Médica Brasileira e que se dedica aos distúrbios de linguagem oral e escrita.

Sandra diz que alguns problemas de linguagem têm causas orgânicas como surdez e alterações cerebrais, mas outras podem advir de causas ambientais e emocionais. Assim, a foniatria é uma especialidade que se aproxima ora à otorrinolaringologia ora à neurologia e à psiquiatria.

“No diagnóstico das crianças que não falam, a foniatria procura a causa na audição, no cérebro ou em causas psíquicas. Entre os papéis mais importantes estão  a orientação aos pais e a indicação terapêutica mais adequada - fonoaudiologia, psicoterapia ou orientação familiar. Outro apoio é o trabalho interdisciplinar em um diálogo com troca de conhecimentos e de experiências médicas do campo da linguagem”, afirma Sandra.

Evento: 41º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial

Data: 6 a 10 de setembro de 2011

Local: Expo Unimed Curitiba

veja também