Quem realmente precisa dos sabonetes antibacterianos?

Quem realmente precisa dos sabonetes antibacterianos?

Atualizado: Segunda-feira, 3 Outubro de 2011 as 11:25

Na embalagem dos   sabonetes antibacterianos   o destaque “elimina 99,9% dos germes ou das bactérias” chama a atenção. Quem está preocupado com saúde e higiene não hesita em levar o produto para casa, para lavar as mãos ou mesmo usar no   banho . Mas será que eles realmente acabam com esses microorganismos? "Esses   sabonetes   contêm triclosan, um efetivo agente anti-séptico.  

Dependendo dos germes (entre eles o E.Coli e o S. Aureus), os sabonetes podem eliminá-los, sim. Mas a pergunta é: ‘eu preciso eliminar 99,9% dos germes?' E a resposta é não”, diz o infectologista Marcos Antonio Cyrillo, membro diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). “Nossa   pele   é colonizada por muitos microrganismos, o que não necessariamente é indesejável. Não precisamos eliminar as bactérias da superfície do corpo e nem é possível fazê-lo por completo”, argumenta a dermatologista Suzy Rabello, do Hospital Bandeirantes, de São Paulo.  

No dia a dia, segundo os médicos, para tirar o excesso dos germes um sabonete de   pH neutro   já daria conta do recado. Apenas em situações especiais esses sabonetes seriam recomendados. Por exemplo, quando a pessoa apresenta lesões ou infecções de pele. “Esses produtos são muito irritativos e costumam ressecar a pele. Como   medida higiênica   de uso diário não há indicação.  

Evite principalmente em bebês, que têm a pele muito mais sensível”, aconselha Suzy. Outro problema que a utilização excessiva e sem necessidade desses   produtos   pode causar é a criação de   bactérias mais resistentes . “Inclusive resistentes a antibióticos”, alerta Cyrillo. Até para a higiene íntima eles só devem ser utilizados se recomendados por um médico.  

“ Para as mulheres, o uso de sabonetes específicos é muito mais adequado que os   antibacterianos , pois o pH dos sabonetes íntimos já é próprio para manutenção das condições genitais e eles também são menos agressivos, menos irritantes à mucosa. Os genitais masculinos podem ser lavados com sabonetes glicerinados ou comuns, não havendo suscetibilidade da pele e da mucosa às variações de pH que ocorrem para a mulher ”, explica a dermatologista. Agora, caso haja indicação do uso do sabonete antibacteriano, melhor optar pela versão líquida.

“Aquela água que fica parada sobre o sabonete em barra ou na saboneteira pode se tornar meio de proliferação de bactérias”, diz o infectologista.

veja também