Reação à vacina contra febre amarela supera casos da doença

Reação à vacina contra febre amarela supera casos da doença

Atualizado: Quarta-feira, 30 Janeiro de 2008 as 12

Reação à vacina contra febre amarela supera casos da doença

Em uma semana, subiu de 31 para 43 o número de pessoas que possivelmente tiveram reação adversa à vacina contra a febre amarela. Como tem afirmado o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o total de casos em que a imunização pode ter sido prejudicial já é maior do que o de confirmações de febre amarela silvestre no País: foram 19 desde dezembro, com dez mortes, segundo o último boletim.

Por meio da assessoria de imprensa, o ministério informou ontem que não se manifestaria sobre a suspeita de que a vacina tenha matado uma pessoa em Goiás. No último dia 25, o secretário da Saúde do Estado, Cairo de Freitas, informou que um vigia da Universidade Federal de Goiás pode ter morrido em razão do uso indevido da imunização. Portador do vírus da hepatite B, ele estaria com a saúde debilitada pela doença, o que impossibilitaria a vacina, que é feita com o vírus da febre amarela atenuado. Pessoas com o sistema de defesa do organismo debilitado podem desenvolver a doença se tomarem a vacina, disse Freitas.

Especialistas apontaram, há duas semanas, que a recomendação inicial do ministério, de que a vacina fosse feita até em áreas urbanas, era exagerada e alertaram sobre o risco de problemas. Na última sexta-feira, Temporão reconheceu que sua Pasta divulgou informações que poderiam levar à vacinação sem necessidade. Recomendou que, para uma pessoa saber se o local para onde está indo exige imunização, ela deve ligar para o Disque Saúde do Ministério (0800 61 19 97).

veja também