Recém-nascidos abaixo do peso podem se tornar obesos

Recém-nascidos abaixo do peso podem se tornar obesos

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 9:21

Bebês que nascem abaixo do peso tendem a comer mais quando crescem. Esta é a conclusão do estudo do Instituto de Pesquisas Biomédicas da Universidade de Los Angeles, nos EUA, que mostrou que os recém-nascidos com deficiência nutricional desenvolvem menos neurônios na região do cérebro responsável pela ingestão de comida. Segundo especialistas, a descoberta ajuda a alertar a futuras mães sobre a importância de ter nutrição equilibrada durante a gestação.

De acordo com a nutricionista do Instituto Fernandes Figueira (IFF), Roseli Costa, manter uma dieta adequada no primeiro trimestre da gestação permite o desenvolvimento e diferenciação dos diversos órgãos fetais. Já nos meses seguintes, a boa nutrição será responsável pelo crescimento do bebê e o desenvolvimento cerebral dele.

A importância da fase pré-natal

"Tanto a saúde da mãe, quanto do bebê, dependem de uma alimentação adequada na fase pré-natal. A má nutrição do feto, em diversos estágios da gestação, pode trazer consequências não apenas ao desenvolvimento infantil, mas também durante toda a vida da criança", afirma a especialista do IFF.

Dentre os principais problemas, além da deficiência nutricional ao nascer, o bebê cuja mãe se alimenta mal ou insuficientemente tem maior risco de desenvolver doença coronariana, diabetes e hipertensão. Tudo isso associado a restrição do crescimento intrauterino e ao crescimento acelerado após o nascimento. A estes problemas, o estudo norte-americano acrescenta a ocorrência, no futuro, de obesidade nestas crianças.

Roseli explica que, durante a gestação, há maior demanda por energia, proteínas, vitaminas e minerais para suprir necessidades básicas e formar reservas para a mãe e o feto. "A grávida deve lembrar que ela é a única fonte de nutrição do feto. Precisa ter dieta adequada para fornecer ao bebê o que ele precisa para nascer saudável".

Durante a gravidez:

Alimentos liberados

Para suprir a demanda de energia da mãe e do feto, deve-se investir em alimentos fonte de ômega-3 (atum, anchova, bonito, cavalinha, salmão, sardinha), vegetais e frutas, alimentos fortificados com ferro, folato (uma das vitaminas do complexo B) e vitamina A e no mínimo dois litros de água por dia.

O que evitar

Alimentos processados e industrializados que contenham conservantes e gordura hidrogenada vegetal e gordura trans, frituras, balas, doces, refrigerantes, bebidas alcoólicas e também carnes cruas.

Com moderação

A ingestão de chá, mate e café deve ser feita sempre sem exageros.

Deficiências

Dentre os principais problemas que podem ocorrer com o bebê em caso de alimentação inadequada da grávida, está o maior risco de desenvolver doença coronariana, diabetes e hipertensão, além da obesidade ou sobrepeso quando a criança crescer    

veja também