Região aspirada em lipoaspiração pode ficar assimétrica

Região aspirada em lipoaspiração pode ficar assimétrica

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 10:46

Além do risco de a gordura voltar em outro lugar, a lipoaspiração pode trazer outros problemas estéticos.

Segundo o cirurgião plástico Alan Landecker, os mais comuns são assimetrias, quando é retirada mais gordura de um lado que do outro do corpo.

Ondulações e depressões na pele também podem surgir, muitas vezes por falhas técnicas, segundo Landecker. "Isso acontece se a introdução da cânula for muito superficial."

Algumas pessoas também podem criar fibroses mais volumosas durante o processo de cicatrização, outra causa possível das ondulações.

No procedimento, o corpo acumula mais líquidos. O inchaço costuma desaparecer após algumas semanas, mas há risco de que o acúmulo de líquido permaneça sob a pele e gere infecções. Se for retirada gordura demais, há aderência da pele, o que também cria depressões.

Um risco mais raro é a operação afetar a vascularização da pele, que acaba ficando com uma ferida aberta.

Problemas mais graves incluem perfurações de vísceras e vasos e embolia causada por partículas de gordura que se soltam.

Segundo o cirurgião plástico Vitório Maddarena, do Hospital São Luiz, de São Paulo, esses riscos são minimizados se a lipoaspiração for feita em local adequado, com UTI, e com bom acompanhamento pós operatório.    

veja também