Remédios naturais combatem a TPM

Remédios naturais combatem a TPM

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 11:37

Quando o assunto é tratamento para a tensão pré-menstrual (TPM) não há mulher quem não tenha um remedinho convencional na farmácia de casa para combater irritabilidade, dor de cabeça, cólica e até depressão, sintomas característicos do período. Mas além da medicina tradicional, recorrer a alternativas naturais também pode ser uma boa saída para combater o problema, podendo até ser uma solução de longo prazo.

Com objetivos diferentes da medicina tradicional, que cuida das características hormonais, comportamentais e físicas da mulher, a terapia natural com remédios fitoterápicos ou homeopáticos busca tratá-la de forma integral e oferecer um caminho de autopercepção.

“Médicos cartesianos costumam tratar individualmente cada sintoma e não o indivíduo, quando é preciso investigar as características de cada paciente para equilibrá-la de uma forma holística”, compara o Dr. Eliezer Berenstein, ginecologista do Hospital e Maternidade São Luiz e feminólogo, profissional que tem a sensibilidade de perceber a mulher como um todo e coloca em prática várias ações para ajudá-la.

Homeopatia x fitoterapia

Muita gente ainda faz confusão, mas a homeopatia e fitoterapia são bem distintas. Provenientes dos reinos animal, vegetal e mineral, os remédios homeopatas são bastante indicados para os tratamentos da TPM. Preparados de forma que excluem todo o componente químico de sua fórmula, curam por meio da energia agregada ao medicamento durante o processo de preparo. “O próprio organismo recebe a informação do remédio e se cura”, explica o Dr. Jorge Bustamante, diretor científico da Associação Médica Homeopática de Minas Gerais (AMHMG).

A homeopatia também procura analisar o ser humano individualmente de forma integral para que seu tratamento seja personalizado e específico para os sintomas diagnosticados. “Cada mulher que se queixa de TPM é investigada pelo médico homeopata de forma que o remédio natural seja desenvolvido exatamente com as características que ela necessita”, completa o Dr. Jorge.

Já a fitoterapia, terapia natural conhecida e usada pela população, tem como base as plantas medicinais que são cultivadas nos quintais ou adquiridas no comércio onde as embalagens são encontradas devidamente classificadas, com o nome popular e o nome científico da espécie. Quem nunca reclamou de cólica ou irritabilidade e foi aconselhada a tomar chá de erva-doce ou de camomila pela vovó? Isso porque muitas plantas medicinais são empregadas no tratamento de problemas menstruais.

De muito uso no Brasil, uma delas é a 'agoniada' (Himatanthus lancifolius), cujas cascas são usadas em forma de chá. O nome 'agoniada' vem justamente do desconforto que a mulher sente nesse período. Os alcalóides dessa planta são relaxantes de músculo liso, inclusive do uterino. Por isso, seu chá funciona como antiespasmódico, reduzindo as cólicas.

O extrato de 'Angélica chinesa', (Angélica sinensis) possui uma ação analgésica, antiespasmódica, além de modular a ação periférica da progesterona. Com isso evita a proliferação excessiva do endométrio, fato que costuma se relacionar com aumento do sangramento e cólicas intensas na menstruação.

Comum no Brasil, a planta chamada de árvore da castidade (Vitex agnus-castus) possui frutos e folhas de onde se faz um extrato que tem excelente eficiência para reduzir a tensão pré-menstrual. Estudos clínicos comprovaram a eficácia de seu uso na redução dos sintomas da TPM. Por fim, a ingestão dos ácidos encontrados no óleo de prímula como o ácido gama linoléico, ácido graxo, também apresenta bons resultados no tratamento da tensão pré-menstrual, já que ele participa da formação das prostaglandinas, responsáveis pela regulação dos hormônios femininos.

Risco da automedicação

Os benefícios das ervas são conhecidos há anos e passados de geração para geração, no que chamamos de fitoterapia popular. No entanto, pode ser que seu uso funcione para algumas mulheres e para outras não. “O diagnóstico e o tratamento da TPM são diferentes para cada mulher. Nem todos os sintomas são notados em pacientes distintas, portanto, não cabe receitar o mesmo tratamento para toda mulher”, ensina o feminólogo.

Pacientes muito agitadas, que reclamam de irritabilidade, por exemplo, podem tomar chá de camomila durante a TPM. Mas e se apresentarem sinais de depressão? Nestes casos, a erva não deve ser usada. Segundo Eliezer, vale o acompanhamento próximo, para saber se é possível recomendar o uso de estimulantes como o pó de guaraná e o próprio café.

Vale lembrar que os medicamentos naturais costumam funcionar tão bem quanto os alopáticos, mas, assim como eles, deve-se administrá-los sob orientação de um médico especialista, já que cada organismo tem suas particularidades e medicamento é medicamento, independentemente de sua origem, portanto, só devem ser utilizados quando um médico especialista recomendá-los.

veja também