Resolver filas, demora e espera no SUS será objetivo quase único

Resolver filas, demora e espera no SUS será objetivo quase único

Atualizado: Terça-feira, 4 Janeiro de 2011 as 11:30

Um ministro tuiteiro. E que chora. Foi assim que se apresentou Alexandre Padilha no momento em que assumiu o Ministério da Saúde, em Brasília, nesta segunda-feira. Padilha disse ter uma obsessão: garantir o acolhimento de qualidade em tempo adequado às necessidades de saúde das pessoas que precisam do SUS (Sistema Único de Saúde). Ele admitiu que resolver os problemas das filas, demora e espera no SUS, será mesmo o objetivo quase único de sua pasta. E aproveitou para fazer um alerta a todos os secretários e funcionários da saúde: “cada um tem que acordar de manhã e dormir à noite se perguntando o que fez para garantir isso”.

Padilha disse saber dos vários desafios que a pasta carrega e prometeu conduzir os trabalhos com o mesmo profissionalismo e cuidado que a equipe que o antecedeu.

O novo ministro da Saúde disse ser técnico e político o suficiente para conduzir o ministério. “Sou as duas coisas. É fundamental para qualquer gestor publico unir a técnica com política. Não se faz mudanças sem construir maiorias legislativas para consolidá-las. As parcerias são importantes para que as mudanças aconteçam”, afirmou Padilha.

Citou o discurso da presidenta Dilma Roussef para garantir que a saúde estará no centro da agenda nacional do desenvolvimento do país. Segundo Padilha, pela primeira vez na história um presidente citou de uma maneira tão forte, durante o primeiro discurso à nação, a questão da saúde.

O ministro também disse que chegou o momento de ter um mapa nacional das necessidades da saúde em todo o país, assim como um instrumento para medir a qualidade do serviço em todo o país. “Esse desafio é meio ousado, mas a gente gosta de ser ousado”.

veja também