Retinopatia aparece em 100% dos diabéticos

Retinopatia aparece em 100% dos diabéticos

Atualizado: Terça-feira, 25 Maio de 2010 as 4:23

A mais recente pesquisa da International Diabetes Federation (IDF) concluiu que mais de 2,5 milhões de pessoas no mundo são afetadas pela retinopatia diabética. A doença consiste no estreitamento dos vasos sanguíneos da retina, no fundo do olho, e requer tratamento.

O oftalmologista especializado em retina do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), Sérgio Kniggendorf, diz que "todo diabético precisa fazer acompanhamento oftalmológico assim que descobre ter diabetes". Ele informa que a retinopatia acontecerá em 100% dos casos de diabetes. O médico declara ainda que aqueles que mantêm a glicemia controlada terão uma progressão lenta da doença. Já aqueles que não a controlam, enfrentarão o problema antes. O especialista, ao falar dos efeitos da doença, orienta: "A isquemia e o edema têm de ser tratados antes que o diabético perceba suas consequências. A luta é para impedir que a retinopatia piore e cause a perda da visão, causada pela proliferação dos vasos anormais e doentes, pelo edema macular e o descolamento de retina."

Kniggendorf defende que, mesmo sem sintoma de retinopatia, todo diabético deve ir pelo menos uma vez ao ano no oftalmologista. "Não para fazer só o exame comum, mas é necessário fazer o exame de fundo de olho. Algumas vezes, a visão é considerada normal, e mesmo assim já há lesão na periferia da retina, precisando de tratamento", alerta.

Engano comum

O diabético deve estar com a glicemia (taxa de açúcar no sangue) controlada quando vai ao oftalmologista, do contrário, erros de prescrição de óculos podem ocorrer. "A glicemia alta, descontrolada, provoca inchaço do cristalino e, em alguns casos, leva ao embaçamento temporário da visão, o que pode atrapalhar o exato resultado do exame."

Orientação

Conforme o IDF, a cada 10 segundos duas pessoas desenvolvem o diabetes no mundo. A expectativa é de que até o ano de 2025 o maior aumento de ocorrências da doença será em países em desenvolvimento. O órgão destaca que os portadores de diabetes tipo 1 devem procurar o oftalmologista em até cinco anos após o diagnóstico recebido. Já os diabéticos diagnosticados com o tipo 2 devem buscar orientação oftalmológica imediatamente.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) estima que mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos já desenvolveram retinopatia diabética.

Por: Marcelo Cypriano

veja também