Retirada de útero é mais frequente em brasileiras com menor escolaridade

Retirada de útero é mais frequente em brasileiras com menor escolaridade

Atualizado: Quarta-feira, 31 Março de 2010 as 12

Pela primeira vez, o levantamento suplementar de saúde da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) investigou a realização de cirurgia de retirada do útero (histerectomia) para as mulheres de 25 anos ou mais de idade. Do total de aproximadamente 58 milhões de mulheres consideradas na pesquisa de 2008, 7,4% realizaram a cirurgia, o que corresponde a 4,3 milhões de mulheres.

Exceto pelo grupo sem instrução ou com menos de um ano de estudo, a pesquisa indica que, conforme aumenta a escolaridade, cai a proporção de mulheres que fizeram a cirurgia (veja quadro abaixo).

A maioria das mulheres que fizeram a cirurgia (93,5%) tinha idade igual ou superior a 40 anos.

A Região Centro-Oeste apresentou proporção maior de mulheres histerectomizadas (8,3%) e o Norte, a menor (6,4%).

Entre as mulheres com rendimento mensal domiciliar per capita de até um quarto do salário mínimo, 3,9% fizeram a cirurgia. A proporção cresce conforme aumenta o rendimento: 12,6% das mulheres com rendimento mensal per capita de mais de 5 salários mínimos tiraram o útero.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também