Rinoplastia, dez curiosidades que você precisa saber

Rinoplastia, dez curiosidades que você precisa saber

Atualizado: Segunda-feira, 7 Abril de 2008 as 12

Se o seu nariz é a parte do corpo que menos te agrada e seu sonho sempre foi modificá-lo, leia  a seguir as dados e orientações sobre a cirurgia plástica:

1)  Dados da American Society of Plastic Surgeons mostram que foram 307 mil rinoplastias em 2006, no mundo todo, superando o número de lipoaspirações (303 mil). Em 2003, no Brasil, a cirurgia do nariz vinha logo atrás da operação da mama e da lipoaspiração (40.230 mil);

2) De acordo com o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, o número de homens e mulheres que realizam o procedimento é bastante equilibrado. "Os homens costumam procurar a técnica por razões profissionais, buscando um rosto mais harmônico. A faixa etária dos pacientes está subindo. Hoje, operamos pessoas com até 40 anos. De qualquer forma, ainda prevalecem os jovens de 20 a 25 anos", afirma;

3) Os exames pré-operatórios incluem processos laborais de rotina, tomografia e exames cardiológicos para pacientes acima de 45 anos. Anomalias decorrentes do crescimento são detectadas por exames clínicos. Nos casos em que há problemas de respiração associado ao desejo de alteração estética, faz-se necessária uma tomografia computadorizada para uma correta avaliação "O médico também deve ser informado sobre possíveis alergias do paciente, consumo de vitaminas ou medicamentos, uso de álcool, fumo ou drogas", diz o cirurgião;

4) Para se preparar para a cirurgia, fumantes precisam evitar o cigarro por duas ou três semanas antes do procedimento e podem retornar o consumo apenas duas ou três semanas depois. "O paciente deve evitar exposição solar intensa, seguir uma dieta equilibrada e não consumir álcool. Caso tenha algum tipo de infecção na pele ou apresente gripes e resfriados, a operação necessitará ser adiada", informa Ruben Penteado;

5) A rinoplastia dura cerca de duas horas e a anestesia aplicada pode ser geral ou local, de acordo com cada caso. "Durante o procedimento, a pele é separada da estrutura do osso e a cartilagem é esculpida. Em seguida, a pele é readaptada ao novo formato. O processo elimina problemas de giba nasal, pontas globosas, pontas pouco projetadas, narizes alargados no dorso ou na ponta. Problemas internos, como o desvio do septo, também podem ser corrigidos", explica Ruben Penteado;

6) De acordo com o médico "a rinoplastia é uma intervenção cirúrgica que depende muito da visão estética do cirurgião. O profissional deve dominar amplamente a técnica cirúrgica,mas também ter um ótimo senso estético. Durante o procedimento, todas as dimensões do nariz são mexidas e, às vezes, um pouquinho a mais ou a menos que se tire, pode ser o milímetro que faz a diferença na graciosidade. Cada pessoa tem uma limitação para que, ao final, o resultado fique natural", afirma o diretor do Centro de Medicina Integrada. O nariz tem que se harmonizar com a estrutura da face: bochecha, formato dos olhos, sobrancelhas e lábios para que a cirurgia seja bem sucedida;

7) A cicatrização da rinoplastia é lenta, portanto, é preciso aguardar o tempo necessário para observar os resultados definitivos. "Compressas frias ajudam a reduzir o inchaço e, em cerca de duas a três semanas após a operação, ele começa a melhorar. Durante os primeiros dias também é comum um pequeno sangramento nasal", diz Ruben Penteado;

8) O cirurgião destaca que a técnica pode ser feita de duas formas. Na primeira, existe uma cicatriz interna e, na segunda, uma cicatriz pequena e externa, localizada na asa nasal;

9) Jovens a partir dos 15 anos já podem realizar a rinoplastia. "Os riscos que a operação apresenta são anestésicos e um raro problema de hemorragia nasal. Algumas limitações do próprio paciente dificultam o resultado esperado, como pele muito espessa. Também é preciso prestar atenção ao próprio biótipo. Para um paciente que possui o nariz naturalmente mais largo, será mais difícil fazê-lo ficar fino e arrebitado", diz o médico;

10) "Cerca de 10% das operações precisam de eventuais retoques, mas são coisas específicas e não é necessário que se faça uma nova e completa cirurgia. O retoque mais solicitado é para correção do dorso alto (giba)", explica Ruben Penteado.

Postado por: Claudia Moraes

veja também