Saiba mais sobre os remédios para emagrecer

Saiba mais sobre os remédios para emagrecer

Atualizado: Terça-feira, 12 Fevereiro de 2008 as 12

Com a implementação da nova regulamentação de receitas para emagrecedores, o tema "remédios para emagrecer" voltou à discussão. A regra, que entrou em vigor em janeiro, torna mais rigorosa a prescrição e venda de inibidores de apetite. A medida possibilitará aos órgãos de saúde um maior controle sobre os usuários e prescritores das drogas.

Segundo os especialistas, o tratamento para obesidade ainda é banalizado pela sociedade e até mesmo por alguns médicos. "Muitos pacientes nem sabem o que estão tomando e acabam com problemas graves de saúde", afirma o Dr. Marcio Mancini, médico-endocrinologista e presidente da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica).

O médico explica também que nem todos os emagrecedores precisarão da nova receita como, por exemplo, o Xenical, medicamento que age no intestino impedindo a absorção de parte da gordura ingerida e não possui ação central. "Atualmente já existem medicamentos eficazes, mais modernos e mais seguros que os anorexígenos", conclui.

Conheça os diferentes remédios para emagrecer e entenda a diferença entre eles:

- Qualquer pessoa pode tomar remédios para emagrecer?

Os remédios para emagrecer podem ser úteis, mas só um médico é apto a constatar se o paciente deve ou não recorrer ao uso de substâncias, portanto, o ideal é que se procure um bom profissional. Recomendamos sempre associar o tratamento a uma dieta equilibrada e atividade física.

- Os remédios podem causar dependência?

Apenas os inibidores do apetite, como o femproporex, dietilpropiona e mazindol podem causar dependência, embora isso não seja comum nas doses habitualmente usadas.

- Por que fazer dieta quando se está tomando remédio para emagrecer?

O principal objetivo do tratamento para emagrecer deve ser a mudança dos hábitos com uma melhor alimentação e a prática regular de atividades físicas. Não adianta tomar remédio e não aderir às mudanças de estilo de vida. Não existe milagre, para evitar o efeito sanfona é preciso uma dieta equilibrada e exercícios.

- Por quanto tempo pode-se tomar um remédio para emagrecer?

Desde que utilizados com acompanhamento médico, recomenda-se sua utilização pelo tempo que se fizer necessário.

- Quais são as principais diferenças entre os remédios para emagrecer?

Hoje temos à disposição medicamentos com diferentes formas de ação. De uma forma geral, existem remédios que agem no cérebro, ou intestino, os inibidores de absorção de gorduras, que impedem a absorção de 30% da gordura ingerida. Apenas os inibidores de apetite serão atingidos pela nova regra da Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA).

- Quais são os efeitos colaterais mais comuns dos emagrecedores?

Eles variam conforme o grupo de medicamentos. Entre os inibidores do apetite predominam os decorrentes do estímulo do cérebro, como nervosismo e insônia. Entre os estimulantes da saciedade são mais freqüentes a boca seca, a constipação intestinal e a insônia. Pessoas mais sensíveis podem ter elevação da pressão arterial. Já os inibidores de absorção das gorduras, quando não associados a um plano alimentar equilibrado, podem causar diarréia.

veja também